Mangueira cancela feijoada de julho e convoca sambistas contra cortes

Decisão da escola faz referência a ação da prefeitura que reduziu o orçamento do carnaval carioca

Por O Dia

Rio - A direção da Estação Primeira de Mangueira emitiu comunicado no fim da noite desta sexta-feira cancelando a feijoada de julho na quadra da escola. O tradicional evento que acontece em todo o segundo sábado do mês dará lugar a uma iniciativa "em defesa do samba". A mobilização faz referência ao recente corte de verba promovido pela prefeitura do Rio.

Feijoada da Mangueira acontece no segundo sábado de cada mêsFernando Azevedo / Divulgação

Em nota, a escola convoca ritmistas, baianas, passistas, diretores, compositores e torcedores, além de todos os apaixonados pelo carnaval e o samba a participarem da organização. "Estaremos nos organizando e nos mobilizando para as jornadas de lutas em defesa do samba, da arte e do nosso carnaval", diz a postagem feita pela escola no Facebook.

"A verde e rosa do Morro da Mangueira não aceitará o desmonte do maior espetáculo cultural do planeta", enfatizou a direção. De acordo com a escola, nos próximos dias acontecerão atividades com intuito de reverter esse quadro.

Veja a nota na íntegra:

"O sol há de brilhar mais uma vez! A Estação Primeira de Mangueira vem a público comunicar que excepcionalmente no mês de julho não acontecerá a nossa tradicional Feijoada da Verde e Rosa, que acontece todo segundo sábado de cada mês.

Estaremos nos organizando e nos mobilizando para as jornadas de lutas em defesa do samba, da arte e do nosso carnaval. A Mangueira é uma instituição cultural!

Conhecida e reconhecida nacional e internacionalmente pela promoção do samba, valorização da cultura e pela promoção de uma cultura de paz, divulgando a cidade do Rio de Janeiro e o Brasil de forma positiva.

Somos um Quilombo de resistência cultural e de defesa do samba! Não iremos nos refutar do debate político e iremos disputar corações e mentes. A verde e rosa do Morro de Mangueira não aceitará o desmonte do maior espetáculo cultural do planeta.
Os nossos surdos estarão todos os dias batucando nas praças, ruas, becos e vielas em defesa do samba, do carnaval, da alegria, dos nossos corpos e da nossa tradição.

Convocamos os nossos ritmistas, nossas baianas, passitas, torcedores, componentes, diretores, compositores e todos e todas que amam o samba, o carnaval e a Mangueira a somarem nessa luta, numa série de atividades que irão acontecer nos próximos dias, onde daremos ampla publicidade através de nossos canais de comunicação".

Últimas de Rio De Janeiro