PMs viram réus pela morte de Maria Eduarda

Menina foi morta dentro de escola, em março, em Acari. Na ocasião, policiais e criminosos trocavam tiros perto do colégio

Por O Dia

Rio - Os dois policiais militares envolvidos na morte de Maria Eduarda Alves da Conceição se tornaram réus nesta quarta-feira. A decisão da Justiça ocorreu depois que o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou o caso no fim de junho. A menina, de 13 anos, foi morta após ser baleada, em março, dentro de uma escola municipal, em Acari, Zona Norte do Rio. 

Maria Eduarda, de 13 anos, foi morta dentro de escola em marçoReprodução Facebook

A informação foi divulgada pela GloboNews. Fábio de Barros Dias e David Gomes Centeno vão responder por homicídio doloso. Segundo o MP, os PMs assumiram o risco de causar a morte da menina ao disparar tiros de fuzil em direção ao colégio.

Na ocasião da morte da menina, os policiais trocavam tiros com bandidos perto da escola. Maria Eduarda foi atingida enquanto participava de uma aula de Educação Física. Os dois PMs foram presos após o crime, mas respondem o processo em liberdade desde abril.

Fábio e David respondem ainda, no mesmo processo, pela morte de dois criminosos. Um deles foi morto enquanto estava ferido e já caído no chão. Um morador filmou o momento em que os policiais atiraram no suspeito.

Últimas de Rio De Janeiro