Caso Sumaré: ex-PMs são condenados a 36 anos e quatro meses de prisão

Na sentença, o magistrado destacou os métodos utilizados na operação, que violaram o dever funcional da Polícia Militar

Por O Dia

Rio - O Conselho de Sentença do 3º Tribunal do Júri da Capital condenou os ex-policiais militares Fábio Magalhães e Vinícius Lima a 36 anos e quatro meses de reclusão pela morte do menino Matheus Alves dos Santos, executado no Morro do Sumaré, Zona Norte do Rio, em 2014, e pelos crimes de ocultação de cadáver e tentativa de homicídio de outro jovem, que se fingiu de morto após ser baleado duas vezes. A sentença foi dada pelo juiz Rafael Cavalcanti Cruz.

Os PMs Vinicius Lima Vieira e Fábio Magalhães Ferreira foram condenados pelo crimeJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Pelo crime de homicídio os réus foram condenados a 21 anos. Pela ocultação de cadáver, a um ano e quatro meses, e pela tentativa de homicídio, a 14 anos; totalizando 36 anos e quatro meses. Na sentença, proferida para cada réu, o magistrado destacou os métodos utilizados na operação, que violaram o dever funcional da Polícia Militar.

A execução

Na época, o caso teve grande repercussão pelo fato dos réus terem sido filmados, dentro da viatura policial, e a imagem ter sido usada como prova contra eles. No dia 11 de junho de 2014, os ex-PMs faziam buscas no Centro do Rio, atrás de dois adolescentes que cometiam furtos na região

No dia 11 de junho de 2014, os policiais realizavam buscas no Centro do Rio contra adolescentes acusados de cometerem furtos na região. Eles apreenderam Matheus e outros dois jovens, levando-os para o Morro do Sumaré. Um dos jovens foi liberado, mas Matheus e o outro adolescente foram baleados.

Últimas de Rio De Janeiro