Ex-presidente FHC depõe na Polícia Federal de forma discreta

Ex-amante disse que ele assinou um contrato fictício com a empresa Brasif pelo qual a jornalista recebia US$ 3 mil mensais entre 2002 e 2006

Por felipe.martins , felipe.martins

São Paulo - O ex-presidente Fernando Henrique prestou depoimento nesta sexta-feira, na sede da Polícia Federal em São Paulo, no processo que apura suposto repasse irregular de recursos para sua ex-amante Miriam Dutra. Em fevereiro, o Ministério da Justiça determinou à PF a abertura de inquérito para investigar o caso. Miriam afirma que recebia no exterior recursos repassados por FHC. Segundo ela, o dinheiro era depositado por meio de um contrato da empresa Brasif Exportação e Importação S.A. Mirian vive na Espanha.

O ex-presidente chegou à PF por volta das 14h e foi ouvido pelo delegado João Tiago Pinho. O conteúdo do depoimento foi mantido em sigilo. O ex-presidente não saiu da PF pela porta da frente. Segundo a assessoria da PF, FHC usou a prerrogativa de ser ex-presidente para poder sair de forma mais discreta do prédio. Mirian diz que o ex-presidente assinou um contrato fictício com a empresa Brasif pelo qual a jornalista recebia US$ 3 mil mensais entre 2002 e 2006. O dinheiro seria para o filho Tomás, que ela alega ser de FHC.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia