Bola é julgado por assassinato de carcereiro em Minas Gerais

Ex-policial foi condenado a 22 anos de prisão pela morte de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, em abril de 2013

Por O Dia

Minas Gerais - Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é julgado nesta quinta-feira, o Tribunal de Júri de Contagem, em Belo Horizonte, Minas Gerais. O ex-policial responde pelo assassinato do carcereiro Rogério Martins Novelo. Bola foi condenado a 22 anos de prisão pela morte de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, em abril de 2013.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), informou que uma testemunha que presenciou o homicídio disse que não é possível reconhecer Bola "com clareza" como atirador.

MP apresentando reconstituição do crime e interrogando testemunha do caso de Bola Divulgação/ TJMG/ Lucas Henrique Andrade

A sessão começou por volta das 10h e é presidida pelo juiz Elexander Camargos Diniz. A acusação é feita pelo promotor Daniel Saliba de Freitas.

O carcereiro Novelo foi morto em maio de 2000, em Contagem. De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais, o carcereiro estava em um carro em frente ao local de trabalho quando foi morto. O crime seria encomendado, pois Bola e ele não se conheciam.

Bola chegou a ser absolvido da acusação em novembro de 2012, mas o MP de Minas Gerais recorreu da decisão argumentando que foi contrária às provas apresentadas no júri. A Justiça acatou e o ex-policial é julgado novamente.

Atualmente, Bola cumpre pena em regime fechado, na Casa de Custódia da Polícia Civil, no bairro Horto, na Região Leste de Belo Horizonte.

Últimas de Brasil