Relatório aponta risco médio para investir no país em 2017

Consultoria internacional especializada avalia risco político e de segurança para investidores

Por O Dia

Rio - A consultoria internacional Control Risks classificou o Brasil como um mercado que apresenta nível médio de risco político. A conclusão faz parte do relatório preparado anualmente pela consultoria, para servir de referência para investidores interessados em fazer negócios no país. A classificação brasileira do ‘RiskMap 2017’ é avaliada de acordo com uma escala de cinco níveis, que varia desde ‘risco insignificante’ até ‘risco extremo’.

Em comparação a outros mercados no continense sul-americano, o Brasil possui status semelhante ao de países vizinhos como Argentina, Paraguai, Colômbia e Peru. Está melhor classificado que Venezuela, Bolívia e Equador, que possuem risco político alto, segundo o relatório. Mas fica atrás de vizinhos como Uruguai e Chile, com risco político baixo.

Para Thomaz Favaro, diretor associado da Control Risks para Brasil e Cone Sul, a avaliação do país está relacionada à crise política. “O cenário que estamos vivendo demanda atenção por parte dos investidores, até porque os desdobramentos da crise e das investigações da Operação Lava Jato persistem. Mas existe também uma percepção de que as instituições estão funcionando”, analisa.

O RiskMap 2017 também mede o risco de segurança de mercados em todo o mundo. Nesse caso, o Brasil possui duas classificações diferentes, dependendo da região. Em algumas áreas do Norte e Nordeste do país, o risco de segurança é tido como alto. Mas na maior parte do território nacional, a classificação indicada pela consultoria é de risco médio.

Mundialmente, a Control Risks projeta um ano de incerteza para empresas em 2017. O relatório aponta para um cenário desafiador para a globalização e o livre comércio, atribuídos à eleição de Donald Trump nos Estados Unidos e à vitória de Brexit no Reino Unido.


IMPACTO DA CRISE
O estudo foi divulgado meses após o agravamento da crise política, com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e os desdobramentos da Operação Lava Jato, impactando também no governo de Michel Temer. O relatório anual completo está disponível em riskmap.controlrisks.com, website do RiskMap 2017.

NO MUNDO
No cenário mundial, o relatório aponta um ano de incertezas, citando a eleição de Donald Trump e o referendo sobre o Brexit no Reino Unido. Ameaças políticas, cibernéticas e terroristas também foram citadas para 2017, apontado como um dos anos mais difíceis desde o fim da Guerra Fria.

Últimas de Economia