Árbitros da Segundona do Rio relatam emboscada à mão armada na Baixada

Junto de motorista, juízes foram abordados após confronto entre Barra da Tijuca e Goytacaz, em Duque de Caxias

Por O Dia

Mário Vinícius Baptista Valentim foi o árbitro do jogoReprodução Internet

Rio - A polêmica sobre a arbitragem no Carioca não se resume apenas à Série A. Na Segundona, um caso muito mais grave aconteceu no último domingo. Segundo Mário Vinícius Baptista Valentim, juiz principal da partida, e Rodrigo Azevedo, assistente da partida entre Barra da Tijuca e Goytacaz, que terminou empatada em 2 a 2, em Duque de Caxias, no retorno ao Rio de Janeiro, a van da federação que transportava a dupla foi interceptada por um carro prata com três homens armados na Avenida 25 de Agosto, ainda na Baixada Fluminense. Um boletim de ocorrência foi aberto para o caso.

Os árbitros não presenciaram tiros, mas segundo depoimento, os homens ordenaram que todos descessem do carro e então perguntaram qual dos integrantes era o árbitro da partida. Neste momento, todos ficaram calados e então o motorista do veículo, identificado como Anderson, foi agredido com um tapa no rosto. Depois, o auxiliar Rodrigo tentou fugir, e Vinicius foi ordenado a também correr, mas antes acabou sendo agredito com um tapa. Depois, ambos se esconderam em um posto de gasolina e não souberam dizer o que aconteceu com a van e com Anderson, o motorista.

Confira o depoimento de Mário Vinícius:

Depoimento de Mário Vinícius Baptista ValentimReprodução Internet

"Aproximadamente uma hora após o término da partida, por volta das 18 horas, eu (árbitro Mario Vinícius Baptista Valentin) e o sr. Rodrigo Azevedo de Lacerda, que atuou como Árbitro Assistente 1 na partida, nos encaminhamos para a van da FERJ para nos retirarmos do estádio, após sairmos dos arredores do estádio, um carro mandando todos desceram da van e em seguida 3 homens armados saíram desse carro mandando todos descerem da van os homens perguntaram quem era o árbitro da partida e um deles agrediu o sr. Anderson, perguntaram novamente o mesmo homem agrediu o sr. Anderson e outro que estava do meu lado me agrediu com um tapa nas costas, em seguida o sr. Rodrigo Lacerda correu e o homem que me agrediu mandou eu correr, andei de costas por alguns metros me virei e também saí correndo, durante a corrida olhei para trás e um dos homens continuaram agredindo o sr. Anderson Gomes. Após eu e o sr. Rodrigo nos afastarmos da van nos escondemos em um posto de gasolina e ligamos para o sr. Rafael Gomes Rosa, que atuou como árbitro assistente 2 na partida e o mesmo nos buscou com seu carro particular no posto de gasolina e nos levou na Delegacia de Imbariê que é próximo a sua residência onde fizemos o Boletim de Ocorrência de Número: 062-02067/2014 que está anexado a este documento."

Últimas de Esporte