Presidente não acredita em punição ao Botafogo por causa de injúria racial

Grêmio já foi eliminado pelo STJD da Copa do Brasil por um caso de racismo envolvendo o goleiro Aranha

Por O Dia

Rio - Depois da polêmica envolvendo o caso de injúria racial de um torcedor do Botafogo contra familiares do rubro-negro Vinícius Jr, o presidente alvinegro resolveu se pronunciar nesta quinta-feira. Carlos Eduardo Pereira não acredita que Botafogo receba uma punição similar ao caso do Grêmio, que em 2014 foi eliminado da Copa do Brasil por um caso de racismo contra o goleiro Aranha.

Carlos Eduardo Pereira falou sobre o caso de injúria racial envolvendo a família de Vinicius JrVitor Silva / SS Press / Botafogo

O presidente do Alvinegro lamentou o fato: "Muito importante frisar que foi o ato de uma única pessoa, ninguém o apoiou, nem tomou partido ou endossou a atitude. Isso tem que ficar claro. Estamos muito tranquilos que cumprimos nossas obrigações. Claro que preferíamos que isso não acontecesse", afirmou o mandatário.

Questionado que a situação era parecida com a que aconteceu com o Grêmio, Pereira se diz tranquilo: "Não estamos temerosos. Creio que o aconteceu com o Grêmio e com o Botafogo foram atos isolados", completou o presidente, que afirmou que o torcedor foi identificado e será bloqueado nos check-ins do estádio. 

"Apesar da minha cara de europeu, minhas avós eram indianas amazonenses. Todo tipo de discriminação tem que ser repudiada. O Botafogo não possui, em sua longa e centenária história, nenhum caso de racismo. Pelo contrário, sempre acolheu a diversidade de todas as cores de pele", encerrou Carlos Eduardo Pereira.