Com recorde de atletas, meta do Brasil é brilhar na Paralimpíada do Rio

Em casa, País quer pular para o quinto lugar geral

Por O Dia

Orgulhosa%2C a halterofilista Márcia de Menezes exibe a credencial dos Jogos ParalímpicosDaniel Zappe / Mpix / CPB

São Paulo - Em uma cerimônia emocionante, no recém-inaugurado Centro de Treinamento, em São Paulo, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) divulgou nesta terça-feira o nome dos 278 atletas que vão disputar os Jogos Paralímpicos do Rio, entre 7 e 18 de setembro. Com número recorde de participantes, o CPB aposta alto e espera que, ao fim da competição, o Brasil pule da sétima posição conquistada em Londres-2012 - quando ganhou 43 medalhas, sendo 21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze - para o quinto lugar geral.

“Será a maior e melhor delegação paralímpica brasileira de todos os tempos. Estamos muito orgulhosos, pois também será a primeira vez que estaremos em 100% das modalidades que compõem o programa paralímpico, também por ser o país-sede. Estamos ansiosos para entrar na Vila dos Atletas”, disse o presidente do CPB e vice-presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Andrew Parsons.

Serão ao todo 181 homens e 97 mulheres. Entre eles medalhões do esporte paralímpico como os medalhistas Daniel Dias, Clodoaldo Silva, Andre Brasil (natação) e Terezinha Guilhermina e Lucas Prado (atletismo), além de outros nomes pouco conhecidos. Durante a entrega das credenciais olímpicas muitos atletas se emocionaram.

“Representar o basquete é muita emoção. Já foi assim em Londres, mas agora, na nossa casa, ouvindo aquela voz conhecida da nossa família, dos nossos amigos, com certeza vai ser incrível”, disse, com a voz embargada, Paola Klokler, do basquete em cadeira de rodas.

No evento foram anunciados os novos embaixadores paralímpicos: a atriz Cleo Pires, o ator Paulo Vilhena e o empresário José Victor Oliva.

Instalações modernas em busca da excelência

Com um investimento superior a R$ 305 milhões, sendo R$ 187 milhões em recursos federais e R$ 118 milhões do Estado de São Paulo, que cedeu o terreno, o novo CT paralímpico impressiona pelas dimensões. O complexo esportivo de 95 mil metros quadrados de área construída fica às margens da Rodovia dos Imigrantes e é capaz de receber até 282 atletas simultaneamente de 15 modalidades esportivas. Entre elas o atletismo, o basquete em cadeira de rodas, a bocha, a natação, a esgrima e o triatlo.

Dividido em 11 setores que englobam áreas esportivas de treino, hotel, centro de convenções, laboratórios de condicionamento físico e de fisioterapia, o CT foi construído para revelar novos talentos, além de abrigar treinos, competições e promover intercâmbio de atletas.

* A repórter viajou a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

Últimas de _legado_Olimpíada