Paulo Maluf oferece R$ 2,2 milhões para evitar ser preso

Acordo foi proposto a promotores dos EUA pelos advogados do deputado que, espera, poder voltar a viajar para o exterior

Por O Dia

São Paulo - Réu nos Estados Unidos sob a acusação de roubo, fraude e lavagem de dinheiro, o deputado Paulo Maluf (PP-SP) propôs à Promotoria de Nova York pagar uma multa de US$ 1 milhão (R$ 2,2 milhões) para se livrar de uma ordem de prisão preventiva, decretada em 2007, e que vale em diversos países. O acordo foi proposto pelos advogados de Maluf que, espera, com o pagamento, poder voltar a viajar para o exterior sem risco de ser preso.

Há sete anos, Paulo Maluf teve teve a prisão decretada em Nova York porque US$ 11,7 milhões (R$ 26 milhões) dos recursos que ele teria desviado de obras quando foi prefeito de São Paulo, entre 1993 e 1996, passaram pelo banco Safra daquela cidade. O valor equivale hoje a US$ 17 milhões (R$ 37,4 milhões). O parlamentar brasileiro nega todas as acusações.

Paulo Maluf é procurado pela Interpol por causa da ação em Nova IorqueWilson Dias / ABR

Pelo acordo proposto, Paulo Maluf também entregaria um anel de sua mulher, Sylvia Maluf, que estava nos Estados Unidos, avaliado em US$ 250 mil (R$ 557 mil). O anel, de rubi e diamantes, foi enviado para ser leiloado noe acabou apreendido a pedido dos promotores.

Foi por causa da ação movida pelo governo dos Estados Unidos que o nome de Paulo Maluf foi incluído, em 2009, na lista de procurados da Interpol. Com isso, ele pode ser preso se deixar o Brasil.

Pelo acordo em discussão, Maluf teria de confessar um crime. O montante de recursos que passou por Nova York é uma pequena fração do total desviado por Maluf, segundo promotores de São Paulo.

Últimas de _legado_Brasil