Estudante é espancado até a morte por um grupo de 14 pessoas no Sul

Pai reconheceu envolvidos na morte de seu filho e afirmou que alguns deles já frequentaram sua casa

Por O Dia

Rio Grande do Sul - Um jovem de 17 anos foi espancado até a morte no último sábado quando saía de uma festa na cidade de Charqueadas, Região Carbonífera do Rio Grande do Sul. De acordo com relatos do pai, o engenheiro Ronei Wilson Jurkfitz Faleiro, de 48 anos, seu filho Ronei Júnior havia mandado mensagem para ele, antes de sofrer a agressão, contando que havia muita confusão no local. O pai presenciou tudo.

Evaristo Costa chora após depoimento do pai de Ronei Júnior

Jovem de 17 anos foi espancado até a morte quando saía de uma festa em Porto Alegrearquivo pessoal

Ao chegar a delegacia para prestar depoimento, Ronei se deparou com os resultados da investigação do crime, ainda em curso. Em depoimento, o pai ficou surpreso quando constatou que jovens que frequentavam sua casa tiveram envolvimento na morte de seu filho.

O rapaz foi assassinado por 14 pessoas na saída de uma festa. O pai havia ido buscar e estava saindo junto com mais dois amigos de Ronei quando foram atacados. A vítima já chegou sem vida ao hospital da cidade, vítima de um traumatismo craniano.

O evento realizado tinha como objetivo arrecadar fundos para a formatura de Ronei, que cursava o último ano da Escola Técnica Cenecista Carolino Euzébio Nunes.

O pai contou que muitos jovens cercaram o veículo com soqueiras e garrafas e começaram a agressão.

Sete adultos já foram detidos

A polícia prendeu sete adutos suspeitos de participar da morte de Ronei. O Ministério Público pediu a prisão preventiva de mais um adulto e a internação de seis menores de idade que também teriam participado da agressão ao jovem.

Áudios vazados por Whatsapp mostram um dos envolvidos contando como participou da covardia: “Eu dei duas garrafadas, com a garrafa quebrada na cabeça dele". O outro complementa: "Eu comecei a chutar, tipo GTA, assim ó, comecei a chutar a ele assim”. Os envolvidos pareciam comemorar a morte do rapaz.

O MP confirma a veracidade da conversa e afirma que os áudios já forma incluídos no processo. Ainda de acordo com o MP, os agressores fazem parte de um "bonde" numeroso formando por adultos e menores de idade. Segundo o promotor, A motivação da agressão pode ter ocorrido por conta de uma "invasão de território", já que o amigo da vítima mora na cidade de São Jerônimo e estava curtindo a festa na cidade de Charqueadas.

Segundo o pai, o estudante estava indo para uma festa pela quarta vez na vida.

Últimas de _legado_Brasil