Editorial: Atitude correta na medida do racismo

A expulsão do Grêmio da Copa do Brasil pode, enfim, conscientizar a sociedade da gravidade do mal da intolerância

Por O Dia

Rio - A expulsão do Grêmio da Copa do Brasil por causa das lamentáveis manifestações racistas contra o goleiro Aranha pode, enfim, conscientizar a sociedade da gravidade do mal da intolerância. Pela primeira vez, pune-se o todo, no caso um time de futebol inteiro, pela atitude — deplorável, frise-se — de alguns. Cabe recurso, e são grandes as chances de ser acolhido, mas trata-se de decisão que merece atenção e aplausos. Indispensável, ainda, é levar até o fim o caso na esfera criminal, punindo os indivíduos envolvidos na agressão.

Poucos brasileiros se dizem racistas, mas muitos o são descaradamente, e no futebol o ódio se manifesta sem amarras. À medida que os jogadores passaram a reagir, logo se apelava a interpretações, a mal-entendidos e a choradeiras, minimizando o crime. “Não foi a intenção” é a desculpa mais usada. Talvez um ou outro acabasse preso, sendo solto pouco tempo depois em acordos ou conversão de pena. No máximo, o estádio era interditado por um punhado de partidas. Para a imensa maioria, contudo, ficava a noção de impunidade.

Agora não mais, pois o Grêmio foi expulso. É um novo paradigma que obriga clubes e torcedores a engolir os xingamentos, uma vez que as ofensas, no entendimento do STJD, já são capazes de pulverizar os resultados de uma temporada inteira. E não há exagero na medida: o racismo é crime grave e precisa ter punições à altura. Só assim os intolerantes aprenderão.

VÍítimas de ataques não podem se acanhar ou se impressionar com desculpas ensaiadas para a mídia ou histrionismos, como o da jovem Patrícia Moreira, que na sexta-feira verteu lágrimas e jurava querer se desculpar com o atleta a quem chamara sucessivamente de “macaco”. O Brasil, miscigenado desde a primeira hora, não pode tolerar mais essas manifestações. É obrigação puni-las no rigor da lei, para que sirvam de exemplo de construção de sociedade civilizada.

Últimas de _legado_Opinião