Chefe do pó teria sido baleado por comparsa na Favela Para-Pedro

Segundo a polícia, bandido identificado como Toulon foi ferido pelas costas por um segurança

Por O Dia

Rio - Como em qualquer enredo de novela, a guerra entre facções rivais que há semanas atormenta moradores do Para-Pedro, no Colégio, pode ter tido seu capítulo de traição. De acordo com a polícia, um dos cabeças do Comando Vermelho (CV) que retomaram o controle das bocas de fumo da favela, Josiel Gomes de Souza, o Toulon ou Camaro, teria sido baleado por um de seus seguranças. O tiro, disparado pelas costas próximo a um campinho de futebol, teria atingido a nuca dele.

Policiais agora vasculham unidades de atendimento, pois o suspeito pode ter dado entrada com nome falso. Além disso, há ainda a informação de que ele possa ter se refugiado no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na casa de parente.

Vidro de Kombi estilhaçado por tiros%3A três homens que estavam no veículo foram mortos segunda-feira%2C quando saíam de favela no ColégioSeverino Silva / Agência O Dia

A versão de que Toulon teria sido baleado foi confirmada por bandidos presos na segunda-feira, na Estrada do Colégio e na Avenida Brasil. Nos depoimentos, um dos detidos contou informalmente que quem atirou pelas costas era comparsa de Toulon, que teria sido destratado por ele.

Além disso, boa parte da quadrilha dele estaria insatisfeita com as trocas constantes de facção, já que o chefe já pertenceu ao Terceiro Comando Puro (TCP) e aos Amigos dos Amigos (ADA). Josiel é procurado por homicídio qualificado e sua recompensa é de R$ 1 mil, oferecida pelo Disque-Denúncia (2253-1177).

Há semanas, traficantes do CV e TCP duelam pelo controle integral da favela. Há pouco tempo, ambas detinham o controle da venda de drogas de pontos diferentes. Somente na segunda-feira, seis fuzis foram apreendidos, três suspeitos morreram e 19 pessoas foram parar na 39ª DP (Pavuna).

Últimas de Rio De Janeiro