MP faz operação contra empresas que fraudavam processos licitatórios

Segundo investigações ficou comprovado que elas possuíam vínculos entre si e mantinham contratação por empresa pública

Por O Dia

Rio - O Ministério Público do Rio (MP-RJ), através da Coordenadoria de Combate à Sonegação Fiscal (COESF)  e com o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), realiza uma operação na manhã desta sexta-feira para cumprir mandados de busca e apreensão em sedes de empresas acusadas de fraude no processo de licitações.

De acordo com o MP, as empresas Translar, Arkitec, Rotac e Contemp são acusadas de participar de um esquema de fraude em procedimentos licitatórios realizados pela Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento de Niterói (Emusa), que resultaram na contratação sistemática, ao longo demais de mais de uma década. Segundo a denúncia, o mesmo grupo de empresas sem qualquer representatividade ou relevância no mercado em que atuam possuem vínculos entre si, alguns baseados em laços familiares. Buscas nas casas dos empresários também estão sendo realizadas.

As investigações começaram a partir de um pregão feito pela Emusa em 2007 e seus termos aditivos, do qual participaram as empresas Cael, Arkitec, Mauad, Brascon, Rotac, FTJ e Translar. Foi nele que ficou comprovado a relação entre as empresas. Também foi obtido na Justiça a quebra dos sigilos bancário, fiscal e de comunicações telemáticas de pessoas físicas e jurídicas relacionadas às empresas.

Últimas de Rio De Janeiro