Divisão de Homicídios investiga mortes na Zona Oeste do Rio

Tiros que atingiram vítimas teriam sido disparados de um fuzil 556, de uso exclusivo do Exército Brasileiro

Por O Dia

Rio - A Divisão de Homicídios da Capital (DH) investiga as circunstâncias da morte de Antônio Carlos da Silva Eduardo, 52 anos, e de Célio Paula da Silva, 56 anos. Eles foram assassinados na tarde deste sábado em um bar de Cosmos, Zona Oeste do Rio. Na ocasião, outras seis pessoas foram baleadas e encaminhadas para o Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande. O estado de saúde delas ainda é desconhecido.

A Polícia Civil está colhendo o depoimento de testemunhas e das vítimas que sobreviveram ao ataque. Agentes fazem buscas para identificar a autoria do crime. Segundo informações, um grupo de milicianos teria atacado um grupo rival que estava no bar da Rua Um, que fica em um sub-bairro de Cosmos, conhecido como Bairro União.

LEIA MAIS:

Tiroteio deixa dois mortos na Zona Oeste do Rio

Bairros da Zona Oeste registram média de três assassinatos por semana

Milícia 'vende' Morro do Jordão por R$ 3 milhões

Morte de PM em praia pode ter sido motivada por disputa dentro de milícia

Segundo informações da Globo News, o crime pode ter ocorrido devido a um racha entre os grupos de Toni Ângelo de Souza Aguiar, chefe de milícia preso desde 2013, e Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, outro miliciano que também está preso. Os disparos teriam sido efetuados com um fuzil 556, de uso exclusivo do Exército Brasileiro e capaz de atingir um alvo a 600 metros de distância. A polícia ainda não confirma esta versão.

Últimas de Rio De Janeiro