Médico é morto a tiros em Irajá após deixar plantão em UPA

Corpo de Helder Dias da Costa Tomé Junior foi sepultado, neste sábado, no Cemitério de Ricardo de Albuquerque

Por O Dia

Helder tinha acabado de deixar o plantão na UPA de IrajáReprodução Internet

Rio - O médico Hélder Dias da Costa Tomé Junior foi assassinado a tiros na noite desta sexta-feira, nas esquinas das ruas Samoa e Coronel Teixeira, em Irajá, Zona Norte do Rio, após deixar o plantão em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região. Seu corpo foi sepultado, no final da tarde deste sábado, no Cemitério de Ricardo de Albuquerque. Familiares não autorizaram a presença da imprensa no local.

De acordo com testemunhas, Hélder reduziu a velocidade de seu carro quando passava por um quebra molas na Rua Samoa. Em seguida, foi surpreendido por dois jovens, que aparentavam ser menores. A dupla abordou o médico, que foi rendido com uma arma apontada para sua direção.

A vítima teria descido do veículo e entregue a direção a um dos criminosos. Em seguida, foi baleada por outro bandido. O homem não resistiu e morreu no local. Não se sabe se ele reagiu ao assalto.

Um inquérito foi instaurado na Delegacia de Homicídios da Capital (DH) para investigar a morte do rapaz. Ainda de acordo com agentes da especializada, foi feita perícia no local e imagens de câmeras de segurança estão sendo analisadas. Agentes estão em busca de informações que ajudem nas investigações. 

Em nota, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio lamentou "profundamente a morte do colega". "O Cremerj repudia a violência na cidade do Rio de Janeiro e espera que as autoridades garantam a segurança da população", afirmou o órgão no comunicado.

Médico morto na Avenida Brasil

Em outubro de 2015, o médico Jorge de Paula Guimarães foi morto durante uma suposta tentativa de assalto na Avenida Brasil. Ele saía de uma clínica, onde trabalhava, no bairro de Piratininga, em Niterói, e seguia para o Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, na Zona Oeste. A DH investiga o caso.

LEIA MAIS:

Homem morre baleado na cabeça na Avenida Brasil

'Médico pode ter sido executado', diz presidente de sindicato

Principal hipótese para morte de médico é latrocínio, segundo delegado

'Estamos indignados', afirma amigo de médico morto em assalto

'Ia salvar vidas e perdeu sua vida', diz presidente do Sindicato dos Médicos

Últimas de Rio De Janeiro