Wilson Diniz: Farsa e realidade dos números

Dilma deu continuidade ao pacote de mentiras, ludibriando o eleitorado com promessas e sonhos irrealizáveis

Por O Dia

Rio - Michel Temer herdou do governo petista, depois de 13 anos, o país em ‘depressão econômica’. Lula foi eleito com mentiras da famosa ‘Carta ao Povo Brasileiro’, idealizada pelo marqueteiro Duda Mendonça. Blefou ao pôr em prática a cartilha do PSDB na área monetária, fazendo pacto com o setor financeiro e alianças espúrias com as oligarquias corruptas que comandam o Congresso.

Dilma deu continuidade ao pacote de mentiras, ludibriando o eleitorado com promessas e sonhos irrealizáveis, colocando o país na maior ‘depressão econômica’ da história. Lula e Dilma venderam o marketing do ‘País de Todos’ e da ‘Pátria Educadora’, do publicitário João Santana, preso envolvido na Lava Jato.

Duda e Santana se inspiraram no livro ‘Não conte para minha mãe que trabalho com publicidade... Ela pensa que sou pianista num bordel’, do publicitário francês Jaques Séguéla. Juntos, venderam ao eleitorado números fictícios bem arquitetados para se perpetuar no poder.

Os dados dos organismos internacionais colocam o Brasil entre os países mais corruptos do mundo, comparável a republiquetas africanas. No ‘Índice de Progresso Social’ de Harvard, na lista de 133 países, o Brasil aparece em 62º na Educação. Na Segurança Social, com alto índice de homicídios e de crimes violentos, os números são alarmantes nas camadas de baixo nível de escolaridade e renda nas periferias urbanas e no Nordeste.

Com a divulgação dos casos de corrupção envolvendo os líderes do Congresso com as denúncias do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o país gera ainda mais incertezas nas decisões de investidores internacionais.

As novas denúncias de Machado, de ter repassado R$ 70 milhões para três líderes políticos do PMDB que conspiraram para depor a presidente Dilma, completa o quadro de um país em decadência comandada por uma classe política que não olha para a realidade dos números.

São 12 milhões de desempregados, 52 milhões sem acesso ao crédito. Fora o aumento da violência infantil, com o estupro de uma jovem de 16 anos no Rio e a morte de uma criança de 11 anos em São Paulo, consequência social das farsas e mentiras dos números de Lula e Dilma.

Wilson Diniz é economista e analista político

Últimas de Opinião