Brasil passa em branco na despedida de 2017

Em sua pior atuação sob o comando de Tite, Seleção só empata com a Inglaterra no primeiro duelo do técnico contra um europeu

Por O Dia

Philippe Coutinho tenta acabar com o clima nada amistoso entre o inglês Livermore e Daniel Alves
Philippe Coutinho tenta acabar com o clima nada amistoso entre o inglês Livermore e Daniel Alves - AFP

Em seu último jogo do ano, a Seleção não deixou boa impressão. Diante da Inglaterra, em Wembley, o Brasil foi pouco criativo e levou pouco perigo contra um time de marcação forte. O placar em 0 a 0 refletiu fielmente o que se viu em campo. Foi a pior atuação brasileira desde que o técnico Tite assumiu. A equipe volta a campo agora apenas em março, nos dias 23 e 27 para encarar, respectivamente Rússia, a anfitriã da Copa, e a Alemanha em dois amistosos preparatórios para a Copa de 2018.

"A respeito do jogo, duas escolas e propostas diferentes. Uma de pressão alta, tentando buscar o jogo articulado, e outra da compactação e bola de velocidade. Se me atacar, vou fazer o contra-ataque. Se errar, vou fazer o gol. Foi o desenho do jogo nessas compactações", afirmou o treinador.

E a afirmação de Tite foi justificada pela escalação do técnico inglês Gareth Southgate. Sem o atacante Kane e o apoiador Dele Alli, ambos machucados, ele optou por escalar três zagueiros e dois volantes, o que prejudicou a transição de jogo, principalmente quando Neymar e Philippe Coutinho tinham a bola. A melhor chance saiu dos pés de Paulinho, no segundo tempo, quando infiltrou, mas o goleiro Hart abafou.

"Encontramos um time muito fechado. No primeiro tempo foi difícil criar. No segundo, conseguimos algumas alternativas, mas o adversário estava bem postado", disse o meia Fernandinho.

Comentários

Últimas de Esporte