IPCA acelera a 0,51% em novembro e acumula alta de 6,56% em 12 meses

Pelo quarto mês consecutivo a inflação fica acima do teto da meta de 6,5% estipulada pelo governo. Apenas em 2014 a inflação aumentou 5,58% e teve os alimentos como os principais vilões

Por O Dia

Rio - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, ficou em 0,51% em novembro deste ano. Em outubro deste ano, a taxa havia ficado em 0,42%. Já em novembro do ano passado, a inflação havia sido de 0,54%.

Segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula taxas de 5,58% no ano e de 6,56% no acumulado de 12 meses – pouco acima portanto do teto da meta estipulada pelo governo (6,5%).

Os alimentos foram os principais responsáveis pela inflação de novembro, com variação de 0,77%. O produto que mais contribuiu para a alta foram as carnes, que ficaram 3,46% mais caras no mês.

Outras despesas que pesaram no bolso do consumidor em novembro foram os gastos com habitação (0,69%), transportes (0,43%), saúde e cuidados pessoais (0,42%) e despesas pessoais (0,48%). O único grupo de despesas com deflação (queda de preços) foi o de artigos de residência (-0,04%).

Últimas de _legado_Notícia

IPCA acelera a 0,51% em novembro e acumula alta de 6,56% em 12 meses O Dia - _legado_Notícia

IPCA acelera a 0,51% em novembro e acumula alta de 6,56% em 12 meses

Pelo quarto mês consecutivo a inflação fica acima do teto da meta de 6,5% estipulada pelo governo. Apenas em 2014 a inflação aumentou 5,58% e teve os alimentos como os principais vilões

Por O Dia

Rio - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, ficou em 0,51% em novembro deste ano. Em outubro deste ano, a taxa havia ficado em 0,42%. Já em novembro do ano passado, a inflação havia sido de 0,54%.

Segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula taxas de 5,58% no ano e de 6,56% no acumulado de 12 meses – pouco acima portanto do teto da meta estipulada pelo governo (6,5%).

Os alimentos foram os principais responsáveis pela inflação de novembro, com variação de 0,77%. O produto que mais contribuiu para a alta foram as carnes, que ficaram 3,46% mais caras no mês.

Outras despesas que pesaram no bolso do consumidor em novembro foram os gastos com habitação (0,69%), transportes (0,43%), saúde e cuidados pessoais (0,42%) e despesas pessoais (0,48%). O único grupo de despesas com deflação (queda de preços) foi o de artigos de residência (-0,04%).

Últimas de _legado_Notícia