Falta de sinal 3G irrita o público do Rock in Rio

Muitas pessoas não conseguiram compartilhar fotos nas redes sociais

Por O Dia

Rio - Um guarda real britânico e uma cabine telefônica, posicionados bem no meio da Rock Street (espaço que homenageia a Grã-Bretanha), fazem sucesso nesta primeira noite de Rock in Rio. Com celular em punho, centenas de pessoas formam fila para tirar fotos com dois dos principais símbolos da terra da rainha. No momento de compartilharem suas imagens nas redes sociais, o sinal 3G atrapalha tudo. Tímido, ele custa a aparecer. Ou simplesmente desaparece por horas, apesar de todas as operadoras de celular terem instalado antenas extras para facilitar a conexão dos usuários. "No meu celular da TIM, o sinal 3G até aparece. Mas ele não funciona. Qual a graça de estar num evento como o Rock in Rio e não compartilhar com os amigos", reclamou a advogada Marcela Guimarães, de 26 anos. Gabriela Rosa, 26, concorda. "Podemos até compartilhar as imagens depois, mas não é a mesma coisa, né?", disse ela, exibindo seu celular da Claro sem sinal.

A estudante de odontologia Francielly Macedo, 21 anos, que tem um celular da Nextel, não conseguia nem sinal para fazer ligações. "A primeira coisa que vou postar quando conseguir sinal será 'chateada' ou 'Tô bolada' ", brincou. Dandara Faria, 20 anos, sugere que o evento disponibilize wi-fi. "Alguns quiosques até liberam, mas também não pega direito".

Para o assistente financeiro Gerardo Rodrigues, que veio de Teresina, no Piauí, as falhas das operadoras de telefonia acabam atrapalhando a divulgação do evento. "Os organizadores tinham que pensar no marketing espontâneo também. Sem sinal, você não compartilha nada sobre o festival. Queria falar coisas boas sobre o Rock in Rio para meus conterrâneos, mas não consigo", disse.

Últimas de Diversão