Informe do Dia: Menos cerveja no Maracanã

Fifa reduziu a oferta da bebida alcoólica durante a final da Copa do Mundo entre Alemanha e Argentina

Por O Dia

Rio - A Fifa decidiu reduzir a oferta de cerveja no Maracanã durante a final da Copa. Em conversas com integrantes do governo federal, a entidade anunciou que haverá uma diminuição no número de quiosques que oferecem bebidas dentro do estádio. Além disso, a venda de cerveja nos bares será encerrada assim que o jogo entre Alemanha e Argentina acabar.

Com medo de brigas, o governo sugeriu que não houvesse comercialização de bebidas alcoólicas no Maracanã, mas a Fifa optou por uma solução menos radical. Para diminuir o risco de problemas, policiais federais e militares atuarão no estádio ­- a presença de chefes de estado de 11 países foi usada para dobrar a resistência da entidade que organiza a Copa, que prefere trabalhar com seguranças privados.

Agora, a maior preocupação do governo é a possibilidade de tumulto no Fifa Fan Fest, em Copacabana, onde deverá haver uma grande concentração de torcedores argentinos. Lá, não haverá restrição de venda de cerveja.

No início do mês, o secretário-geral da Fifa, Jérome Valcke, se disse impressionado com a quantidade de pessoas bêbadas nos estádios da Copa, o que, segundo ele, aumentava o risco de confrontos. A cerveja Budweiser é uma das patrocinadoras do evento.

Por conta do risco de conflitos entre torcedores, o governo federal torceu muito para que não houvesse uma final entre Brasil e Argentina. O time de Felipão foi eliminado, mas metade do problema continua.

Últimas de _legado_Copa do Mundo