Com Ederson de novo entre os titulares, Flamengo busca vitória sobre o Inter

Rubro-Negro tem desafio importante pelo Brasileirão

Por O Dia

Espírito Santo - Enquanto tenta se manter no bloco da frente do Brasileiro, o time do Flamengo busca encontrar sua formação ideal. Sob o comando do interino Zé Ricardo, a disputa por posição se acirra. Ederson fará contra o Internacional, hoje, às 19h30, sua segunda partida consecutiva como titular. Já Muralha e Rafael Vaz precisam provar que merecem ser titulares, já que Paulo Victor e Juan estão em fase final de recuperação. Há ainda a briga de Cuéllar e Mancuello por um lugar ao sol. A vitória pode reconduzir o Rubro-Negro ao G-4.

Ederson terá nova chance entre os titularesGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

“Procuro estar sempre com foco no que tenho que fazer nos treinos, para tirar essa ansiedade. Somente com trabalho vou ter essa sequência de jogo para ter ritmo e ganhar cada vez mais confiança”, disse Ederson.

Com a carreira marcada por lesões, Ederson garante que os problemas físicos ficaram para trás. Ele exalta o trabalho de prevenção do clube.

“Não tenho problema muscular e fico feliz por isso. O trabalho tem sido feito no Centro de Excelência em Perfomance, com pouquíssimas lesões”, afirmou o jogador.

Ederson garante ter fôlego para jogar uma partida inteira e acompanhar o lateral adversário até o campo de defesa, quando o Flamengo não tem a bola. Ele lembrou que já cumpriu tal função quando atuava na França e na Itália.

Juan e Paulo Victor estão em fase de transição, para aprimorar a forma física e, por isso, não viajaram com o time para o Espírito Santo, assim como Emerson Sheik, que só voltará à equipe quando estiver 100%.

DONATTI PODE GERAR BATALHA NA JUSTIÇA

Alejandro Donatti entrou duro na dividida com o Rosario Central, que não quer liberá-lo para jogar no Flamengo. O zagueiro argentino não se reapresentou ao seu clube na segunda-feira e é esperado hoje no Rio. A briga pode acabar no campo judicial.

“Qualquer ação de outros clubes, jogadores e/ ou representantes, através de mecanismos desleais, com o objetivo de procurar o fim do vínculo de um dos nossos profissionais, será considerada ofensiva. A ética deve primar antes de qualquer especulação”, advertiu a diretoria do Rosario, em nota.