Diguinho credita sua boa fase à chegada de Renato Gaúcho

Antes criticado pela torcida, volante vive grande momento no Fluminense

Por O Dia


Rio - São cinco anos de Fluminense, tempo suficiente para garantir a Diguinho o posto de jogador há mais tempo nas Laranjeiras. Nesse período, a superação é marca registrada do volante. Depois de uma temporada apagada no banco de reservas, em 2013, o camisa 8 comemora sua redenção com a chegada de Renato Gaúcho. De volta ao time titular, a meta é recuperar o prestígio.

Diguinho vive bom momento no FluminenseDivulgação

"Tive um 2013 difícil, mas acredito que esse será o ano da virada. Ninguém fica satisfeito na reserva, mas apoio, incentivo e trabalho à espera da oportunidade. Me cobro muito. O ano que passou é para ser esquecido pela campanha do Fluminense no Brasileiro, lesões... Entro com o pé direito em 2014 para dar a volta por cima", disse Diguinho.

Com 191 jogos pelo Fluminense, Diguinho se sente preparado para as cobranças. Fatos negativos, mas marcantes, aceleraram seu amadurecimento profissional. Em 2009, o volante foi agredido durante uma invasão de uma facção no treino nas Laranjeiras e foi diagnosticado com o quadro de tuberculose. A experiência foi sofrida, mas encarada como uma lição.

"Se tive um problema de saúde foi para aprender algumas coisas, pois não me cuidava. O episódio com a torcida foi para me cobrar mais, treinar mais, não dar motivos. A cobrança é válida e é mais um obstáculo a ser superado. Me considero um vencedor por tudo que conquistei, pelo respeito dentro de um grande clube", disse.

Peça-chave no meio-campo tricolor, o camisa 8 trabalha para recuperar o tempo perdido e manter o bom momento contra o Boavista.

DIGUINHO: ‘SOU MUITO DEDICADO’

De volta como titular do Flu, Diguinho tem como lema recuperar o tempo e prestígio perdidos.

O DIA: Qual é sua previsão pessoal para 2014?

Diguinho: É boa. Tive um 2013 difícil. Não vem ao caso, mas tive problemas familiares, perda de meu pai, fiquei mais de 20 dias sem treinar... Tudo isso acarretou em lesões que me impossibilitaram de jogar. Fica de lição para este ano.<MC>

O DIA: Por que perdeu espaço em 2013?

Diguinho: Faço as duas funções de volante. Já joguei como primeiro até com Abel Braga, mas ele não gostava porque considerava que a equipe ficava baixa. Mas acho que ganhamos em qualidade na saída de bola, mais dinâmica. Perdemos na bola aérea, mas ganhamos outras alternativas.

O DIA:  Qual é o peso de ser o jogador mais antigo do elenco?

Diguinho: Não estou aqui porque sou queridinho e sim porque mostrei trabalho.Esse prestígio, respeito conquistado com torcedores, treinadores não é por causa de um bom campeonato e sim pelo faço no dia a dia. Não sou craque, mas dou a vida em campo. É a profissão que escolhi. Tive problemas extra-campo, mas sou muito dedicado.

BRUNO COMEMORA MARCA PELO FLU

Em busca de sua sexta vitória seguida no Carioca, o Fluminense terá Bruno em um dia especial na noite de amanhã, no Maracanã. A partida contra o Boavista marcará a 100ª partida do lateral-direito com a camisa tricolor. Muito cobrado pela torcida, ele quer explorar a boa fase para superar o melhor momento vivido no clube, em 2012.

“Conquistei grandes coisas e tenho que agradecer aos companheiros também. Quero melhorar para fazer um ano maravilhoso, melhor do que o que vivi em 2012”, disse Bruno.

Calejado, o camisa 2 conta com o apoio da torcida e adota a estratégia de ignorar seus críticos. “Faço o meu trabalho sério. Espero que a torcida possa ajudar. Não escuto quem quer atrapalhar”. disse o lateral.