Fred não garante permanência, critica opositores e revela dívida do Flu

Mesmo depois de marcar dois gols contra o Corinthians na goleada por 5 a 2, o atacante desabafou na saída do campo

Por O Dia

Rio - Fred fez dois gols na goleada por 5 a 2 sobre o Corinthians, neste domingo, no Maracanã. Apesar do bom desempenho, o atacante deixou o campo disparando contra torcedores que foram protestar contra ele no treino de sábado nas Laranjeiras e criticou a imprensa.

"Quero fazer um desabafo. Há seis anos estou no clube. Me desgastei sempre para defender os jogadores. Mas algumas vezes a imprensa, como agora na globo.com, eles têm de ter responsabilidade e entender que aquele bando de 10 pessoas foram fazer aquela palhaçada, não representam a torcida do Fluminense. Fizeram matéria tendenciosa da forma que fizeram é uma falta de respeito. Tem de analisar toda a história. Sei que o torcedor está do meu lado. Aquilo é coisa mandada. Vou sempre me desgastar pelo clube. Se forem mandar fazer sacanagem comigo, estou de peito aberto. Mas se estiver ruim, pego a minha viola, coloco no saco e vou embora, porque estou aqui para defender o Fluminense", afirmou.

Durante sua "bronca", o atacante sitou especificamente um site de esportes, e ainda ressaltou que está sem receber direitos de imagem há 20 meses. Além disso, garantiu que está sendo alvo de opositores.

"Há grupos de opositores que fizeram sacanagem comigo. Tenho 20 meses de direitos de imagem atrasados, mas se a torcida estiver de saco cheio, pego minhas coisas e vou embora. Me garanto dentro e fora de campo. A minha revolta maior é com aquele babaca do GloboEsporte.com que fez a matéria armada. “Posiciona pra fazer a foto, vem de lá para fazer o vídeo”. Foi assim. Eu estou me matando, velho. O grupo inteiro, não só eu. A comissão técnica ralando pra caramba e estamos sozinhos nessa. Eu domino no peito, mas divido a responsabilidade também, porque tem gente que não faz nada aqui dentro. Eu tenho 20 meses de direitos de imagem atrasado e nunca falei pra ninguém. Mesmo assim me dedico. Mas a minha indignação é com aquela palhaçada que aconteceu. Vocês tem que noticiar, mas ter responsabilidade para, no mínimo, analisar a situação. Aquele protesto é da torcida do Fluminense? Pergunto para os senhores. É um bando de imbecis. Aquilo lá é coisa armada. mas se quiserem vamos para o pau. Tinha moleque lá com short do Santos. Não representa minha torcida. Respeito muito a verdadeira torcida e quando tem coisa manipulada, eu vou para dentro", disse.

Fred não saiu de campo satisfeito e desabafouErnesto Carriço

Repetindo o discurso do jogo contra o Sport, Fred não criticou a situação do Fluminense na tabela de classificação, mesmo estando fora do G-4 e longe da briga pelo título. O camisa 9 destacou as dificuldades extra-campo que a equipe vem passando e falta de definição na renovação de contrato de alguns atletas.

"Frustração é uma palavra forte para esse grupo pelos problemas que enfrentamos, pelas dificuldades. Esse grupo caminha sozinho. Seis, sete meses atrás, eu como capitão, sempre defendi nosso grupo de jogadores. Falei que nosso grupo precisava renovar o contrato. São sete, oito jogadores de qualidade que já ganharam títulos. Hoje, por causa de politicagem, por causa daquela palhaçada, não existe frustração porque nós jogadores nos dedicamos sozinhos. Saímos de cabeça erguida. Falamos lá dentro que tem uma maioria de jogadores que pode ser o último jogo. Temos que jogar por nós e pelas nossas famílias", garantiu. 

O centroavante se mostrou apreensivo com o futuro do Fluminense em 2015. Fred falou sobre a possível debandada de jogadores, destacou que os meninos da base não aguentariam a pressão e ainda deixou em aberto a chance de sair do time.

"Para o ano que vem, que melhore o planejamento. A gente tem exemplos. Não dá pra falar se eu fico. Tenho contrato mais um ano. O futebol carioca está em decadência. Somos os melhores do Rio. Não dá para falar de frustração. Somos o menos pior do Rio de Janeiro. Vimos o Botafogo. Vai acontecer o que com o Flu no ano que vem? Vão sair oito jogadores, mas será que a molecada da base vai botar a camisa e jogar? Será que o torcedor vai ter paciência?", concluiu.