Vasco aposta na experiência dos 'velhinhos' na 'decisão' contra o Avaí

Andrezinho, Nenê e Rodrigo lideram o time em duelo com rival direto na luta para escapar do rebaixamento no Brasileirão

Por O Dia

Santa Catarina - Eles já viveram fortes emoções na carreira, conquistaram títulos e passaram por momentos difíceis. Mas livrar o Vasco de forma heroica de mais um rebaixamento terá gosto especial. Por isso, mesmo após os 30 anos, veteranos como Andrezinho, Nenê e Rodrigo fazem questão de serem fominhas e estarem em campo em todos os jogos. Nem o fato de ter de atuar no calor das 11h, neste domingo, contra o Avaí, na Ressacada, parece incomodá-los. Nessas horas, a experiência fala mais alto. Andrezinho, 31 anos, por exemplo, mudou sua rotina já no início da semana para se adaptar ao horário matinal.

'Fominha'%2C Nenê está confirmado no Vasco no duelo com o AvaíPaulo Fernandes/Vasco.com.br/Divulgação

“Precisamos mudar a alimentação e o sono”, explicou. Já Nenê se mostra incansável. Com 34 anos, o “fominha”, como ele mesmo se define, disputou 13 jogos em 47 dias - média de um a cada 3,6 dias.

VEJA MAIS: Confira a tabela e classificação do Campeonato Brasileiro

Quem adora a disposição da dupla é o técnico Jorginho: “A gente procura dosar a juventude com a experiência dos mais velhos. Andrezinho e Nenê são dois atletas muito vividos, que jogaram em grandes clubes. Nenê, por exemplo, fala e organiza as jogadas em campo e ter esse tipo de jogador é importante.”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

Se na frente Jorginho pode contar com os dois, atrás é Rodrigo, que chegou a ser perseguido, agredido e xingado por parte da torcida, que aparece como verdadeiro xerife. Foi ele que marcou o gol de empate que iniciou a virada do Vasco contra o Flamengo e, até a 28ª rodada, é dele a marca de quem mais cobrou faltas na competição: 23 vezes. Com 35 anos, o zagueiro requer cuidados especiais do departamento médico. No entanto, ficou fora de dez jogos apenas.

“Parece um jovem, mas precisa de um trabalho especial. Também me sentia assim aos 35 anos. Foi um período que não me machuquei, pois sabia a hora de treinar. Ele é o nosso capitão, tem ajudado muito para esse equilíbrio dentro da equipe”, elogiou Jorginho.

E, quase dois meses depois, o time titular, enfim, teve uma semana inteira para descansar e treinar. Para Jorginho, o tempo livre foi bem aproveitado: “Demos uma atenção especial à parte técnica. Pudemos organizar e corrigir alguns erros.”

Jorge Henrique é dúvida

Se Nenê, Rodrigo e Andrezinho vão estar em campo logo mais, um outro trintão ainda não foi liberado pelo departamento médico. Com um corte na perna, o atacante Jorge Henrique ficou fora do treino deste sábado e só terá escalação definida após nova reavaliação dos médicos.

Caso não tenha condições de atuar, deve dar lugar a Rafael Silva, que está disponível após o Vasco conseguir efeito suspensivo no STJD. Acusado de ter xingado o árbitro Elmo Resende na partida contra o Atlético-MG, Rafael Silva foi suspenso por quatro jogos, mas o Vasco ainda tenta recorrer para não perder o atleta na sequência da competição.