México a um passo de legalizar casamento gay

União de pessoas do mesmo sexo só é reconhecida na capital e outros três estados. Presidente mexicano vai enviar projeto ao Congresso estendendo direito a todo o país

Por O Dia

Cidade do México - O presidente do México, Enrique Peña Nieto, afirmou nesta terça-feira, quando é celebrado o Dia Internacional contra a Homofobia e Transfobia, que assinou "iniciativas de reforma" para legalizar o casamento gay no país. Atualmente o casamento gay é reconhecido na Cidade do México e nos estados Coahuila, Nayarit e Quintana Roo.

Peña Nieto quer o casamento gay reconhecido em todo o paísEfe

Um quarto estado, Campeche, já aprovou a legislação, faltando apenas implementá-la. Os 27 estados restantes mantêm o casamento como uma união entre um homem e uma mulher. Peña Nieto publicou no Twitter que as iniciativas que assinou visam a inclusão do casamento gay na Constituição e no Código Civil Federal. “Estas iniciativas de reforma retomam os critérios da Suprema Corte em favor da não discriminação”, acrescentou, com a hashtag #SinHomofobia (sem homofobia).

Em junho de 2015, a Suprema Corte decidiu que os juízes de todo o país estão obrigados a conceder amparo aos pedidos de homossexuais que queiram se casar. A decisão foi reconhecida como um avanço histórico.

A foto do presidente Peña Nieto foi trocada por uma com as cores do arco-íris, presentes na bandeira gay.

Em um encontro com organizações de defesa dos direitos dos homossexuais, o presidente se pronunciou a favor de que "os casamentos se realizem sem discriminação por deficiência, condição social, saúde, religião, de gênero, ou de preferências sexuais", e considerou indevido que os casais gay tenham direitos em alguns estados e, em outros, não.

A Cidade do México foi a primeira jurisdição da América Latina a contar com uniões legais de pessoas do mesmo sexo, após aprovar em 2007 a chamada "sociedade de convivência" e, em 2009, o casamento.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência