'Merda' que adoça a vida e faz sucesso

Confeiteira tailandesa bomba nas redes sociais ao criar bolo em forma de fezes de cachorro. Cada um custa só R$ 2,50

Por O Dia

Wilaiwan Mee-Nguen e sua iguariaAFP

Bangcoc - É tempo de São João, e um dos quitutes típicos é o controverso cocô de rato, aquele docinho em forma de grão de arroz que por vezes é rejeitado. E cocô de cachorro, você comeria? Uma confeitaria na Tailândia está causando uma sensação duvidosa com a novidade de seu cardápio, bolos em forma de fezes de cães, que atraíram a atenção dos meios de comunicação do mundo todo.

“É curioso, ninguém mais tem bolos em forma de cocô”, assegura Wilaiwan Mee-Nguen, ao receber a reportagem da AFP em sua pequena cozinha no primeiro andar de sua casa no subúrbio de Bangcoc.

As redes sociais contribuíram para a popularidade do confeito. “Algumas pessoas gostam, outras não”, admite a confeiteira, que revela que o segredo da receita da massa são a gelatina e o leite de coco. A reportagem provou e constatou a textura gelatinosa muito realista do bolo.

Tudo começou há alguns meses, com o pedido de um cliente que queria um bolo com formato incomum. A confeiteira fez um primeiro molde em forma de cachorro e outro em forma de cocô, que foi aprovado. Ela diz ainda que vende cerca de mil bolos do tipo por mês, a 25 bahts cada um (R$ 2,50, uma pechincha), sob a marca Wilaiwan.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência