Wagner Canhedo é investigado por fraude milionária

Filho do antigo dono da Vasp foi preso durante operação na casa do empresário, em Brasília

Por O Dia

Canhedo é suspeito de criar empresas fantasmas para sonegar impostoReprodução Vídeo

Brasília - Policiais federais prenderam na manhã de ontem, por porte ilegal de arma, Wagner Canhedo Filho, de 22 anos. Na casa dele, em Brasília, foram achadas três armas, duas com documentos vencidos e uma sem documentação. Ele foi liberado após pagar fiança de R$ 38 mil.

A prisão foi durante operação que investiga denúncia de fraudes à execução fiscal, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica que seriam comandadas pelo pai do jovem, Wagner Canhedo, ex-dono da empresa aérea Vasp. Segundo apuração da Polícia Federal, o empresário comanda um esquema que movimentou R$ 875 milhões.

O empresário e mais 10 pessoas foram levadas para prestar depoimento na sede da Polícia Federal. Além disso, os agentes cumpriram 29 mandados de busca e apreensão de documentos em empresas de Canhedo, na casa dele e nas de diretores de seu grupo.

Os gestores do Grupo Canhedo, que inclui empresas de ônibus, de turismo e o Hotel Nacional de Brasília são suspeitos de criar empresas de fachada para fraudar a declaração de faturamento e, além de sonegar impostos, não pagar multas.

As suspeitas surgiram no ano passado quando fiscais, ao tentar bloquear contas de seis das empresas do grupo com débitos com a Receita Federal, descobriram que, apesar de ativas, elas não tinham faturamento. Canhedo ficou conhecido nacionalmente ao comprar, em 1° de outubro de 1990, a Vasp. A empresa parou de funcionar em 2005 e decretou falência em 2008, com dívidas de R$ 1,5 bilhão.

Últimas de _legado_Brasil