Britânicos estão perto de identificar assassino de James Foley

Estados Unidos anunciam a liberação de outro jornalista

Por O Dia

Inglaterra - Em entrevista neste domingo à CNN, o embaixador do Reino Unido nos Estados Unidos, Peter Westmacott, garantiu que a inteligência britânica estaria muito perto de descobrir a identidade do assassino do jornalista norte-americano James Foley, decapitado por jihadistas do Estado Islâmico. Mas altos funcionários do governo britânico apontam o rapper Abdel-Majed Abdel Bary, conhecido como Jihadi John, como principal suspeito.

Jornalista James Foley foi obrigado pelo Estado islâmico a culpar os EUA por sua execução Reprodução Internet

O sotaque britânico do executor de Foley tem pressionado o governo a identificá-lo. Há um ano, Bary teria abandonado a casa milionária da família, no oeste de Londres. Recentemente, ele postou em rede social foto dele segurando uma cabeça humana.

Um jornalista freelance de Massachusetts, no nordeste dos EUA, sequestrado pela Frente Al-Nosra foi liberado ontem. O anúncio ocorreu no dia da cerimônia religiosa em memória de James Foley. A informação da libertação de Peter Theo Curtis, em poder de grupo ligado a Al-Qaeda na Síria, foi divulgada pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

Os pais de Foley, John e Diane Foley, participaram no domingo de missa na cidade natal do jornalista, Rochester, em New Hampshire. Eles também manifestaram o desejo pelo retorno de jornalistas sequestrados. Entre eles, Steven Sotloff, de 31 anos, repórter americano mantido em cativeiro com James Foley e que já foi ameaçado de morte.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência