'Que pegue 300 anos de cadeia', diz mãe de bebê sobre sequestradora

Após ‘madrugada incrível’, ela não desgruda da criança

Por O Dia

Rio - ‘Que ela pague pelo que fez. Não vou perdoar essa mulher nunca, pois não se tira um filho dos braços da mãe. Que ela pegue 300 anos de cadeia!’. O desabafo é de Carolaine Augusto de Souza, de 17 anos, com o filho Kayzo, de 18 dias, no colo e ao lado do pai da criança, Rafael dos Reis, de 20. O bebê foi localizado por um PM numa praça pública de Santa Cruz, cerca de 30 horas após ser sequestrado em Campo Grande, por uma falsa agente de modelos infantis.

“Não desgrudei um minuto sequer do meu bebê. Amamentei e dormi agarrada com ele na cama. Foi a madrugada mais incrível da minha vida”, afirmou Carolaine, que reencontrou o neném na 35ª DP (Campo Grande). A Polícia Civil identificou a sequestradora como Leandra Aleluia Leal Rodrigues, de 36 anos. Ela ainda está foragida. Apenas a filha dela, de 16, foi apreendida na casa da família, no Centro de Angra dos Reis. A adolescente estava com Leandra no momento do rapto.

O bebê Kayzo%2C Carolaine e Rafael%3A lágrimas e desmaio no reencontro Paulo Araújo / Agência O Dia

O dia de ontem foi inesquecível para Carolaine. Ela revelou ter sentido emoção indescritível por amamentar Kayzo novamente: “Ele não para de mamar. Sentiu falta do meu leite, o leite verdadeiro de mãe”, gabou-se Carolaine, que mora em Campo Grande numa casa de três cômodos (cozinha, banheiro e quarto), com paredes só de tijolos, em companhia do bebê e do marido Rafael.

Preocupada com a saúde do recém-nascido, ela vai levá-lo hoje a uma Clínica da Família para que seja examinado. “Não sei o que deram para ele na minha ausência. Não quero correr riscos. Já tive muita sorte em ver meu anjinho novamente”, contou.

O pai da criança, que é ajudante de pedreiro e sustenta a família com um salário-mínimo, também estava emocionado. “Esse grande susto serviu para unir ainda mais nossa família”, acredita Rafael, que chegou a desmaiar ao avistar avistar Kayzo nos braços do delegado Hilton Alonso. Ele foi socorrido e medicado numa ambulância. A prisão de Leandra foi pedida à Justiça na madrugada de ontem. Ela aparece nas imagens de circuitos de segurança acompanhando a mãe do recém-nascido momentos antes do rapto.

Sargento será investigado

Parentes de Leandra, suspeita de raptar o bebê, serão investigados por participação no caso e na facilitação de fuga dela. O sargento Marco Aurélio, do 27º BPM (Santa Cruz), é um deles. Ele é marido da prima de Leandra. O PM disse a jornalistas ter encontrado a criança com uma mulher no Largo do Aarão. Ele negou qualquer envolvimento.

Últimas de Rio De Janeiro