Parlamentares e ativistas cobram criação de delegacia de defesa dos animais

Caso de maus-tratos que veio à tona nesta segunda-feira fez o assunto voltar à pauta de discussão

Por O Dia

Rio - As cenas de um homem agredindo as cadelas da namorada, divulgadas na manhã desta segunda-feira, não só chocaram o Rio como fizeram o assunto de proteção aos animais voltar à discussão. Após a exibição das imagens, parlamentares e ativistas da causa lembraram o pedido feito ao governador Luiz Fernando Pezão, de criação de uma delegacia especializada nesses crimes. 

Acusado de agredir cães da namorada deve prestar depoimento nesta terça-feira

Para o deputado estadual Tio Carlos (SD) - que se reuniu com Pezão no dia 7 de janeiro para tratar o assunto -, uma unidade especializada pode inibir os agressores. "Há essa necessidade, porque muitas delegacias já têm notificações e não costumam fazer uma investigação mais aprofundada. Uma unidade especializada vai tratar o assunto com maior atenção e pode inibir os maus tratos aos animais", declarou o deputado, que emendou:

"Amanhã farei um pronunciamento na Alerj pra mostrar como o assunto deve ser tratado. Infelizmente esses crimes ocorrem e o ser humano pratica maldades com bichos indefesos. É algo tão surreal que o agressor era noivo da dona dos animais". 

O governo do estado afirmou que a criação da delegacia especializada já está em estudo. Porém, ainda não há uma previsão para a abertura da unidade. Já a Polícia Civil diz que a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) tem um núcleo de atendimento a casos de agressão a animais. No entanto, as ocorrências podem ser feitas em qualquer unidade do estado, e nem sempre são encaminhadas para a DPMA. 

Segundo a ativista Andrea Andrea Lambert, que também se reuniu com Pezão em janeiro, os registros feitos na DPMA e em outras unidades não recebem a devida atenção. "O animal é um ser vivo que tem que ser protegido como merece. A criação de uma delegacia de proteção aos animais dá importância à questão e ajuda a combater a violência. Numa unidade comum não tratam o problema como se deve. Nenhuma unidade faz isso", disse. 

Autor do projeto de lei 2428/2009 - que prevê proteção de animais no Rio de Janeiro -, o deputado estadual André Lazaroni (PMDB) lembrou a importância da criação de leis específicas. Segundo o parlamentar, o projeto deve ser votado ainda este semestre. "A medida tem como objetivo defender animais de abusos, maus-tratos e outras condutas cruéis", disse ele, que definiu a proteção aos animais como um movimento social: "Procuramos incluir os animais numa mesma comunidade moral que os humanos, protegendo da dor, por exemplo, e dando a mesma consideração que os interesses humanos", afirmou o deputado.

Já o vereador Márcio Garcia (PR), que também tem forte atuação na causa dos animais, afirmou que acompanhará o desenrolar do caso. Segundo ele, a principal preocupação é de as investigações sofrerem alguma interferência: "Vamos acompanhar a atuação dos órgãos atrelados ao poder executivo para que a investigação siga normalmente, sem nenhum tipo de interesse político no meio". 

Agressor prestará depoimento nesta terça-feira

Rafael Hermida prestará depoimento na 16ª DP (Barra da Tijuca) nesta terça-feira. Ele é acusado de agredir as cadelas da namorada no último dia 31 de janeiro. A mulher desconfiou do comportamento de seus animais depois que seu companheiro se mudou para a sua casa e decidiu instalar câmeras de segurança no local.

No primeiro dia de gravação ela já teve certeza do que estava acontecendo: em dois vídeos publicados por ela no Facebook, o homem de 34 anos é visto agredindo duas cadelas da raça buldogue francês. As cenas geraram grande comoção na rede social.

Com os vídeos, a mulher procurou a 16ª DP(Barra da Tijuca), onde o caso foi registrado como crime de maus tratos. De acordo com a Polícia Civil, ela já foi ouvida e os agentes analisam as imagens divulgadas por ela. Rafael, que é sócio de um bar na Barra da Tijuca, será excluído da sociedade do estabelecimento, informaram neste domingo os outros dois sócios. Devido à repercussão do caso, Rafael excluiu suas contas em redes sociais, como Instagram, Facebook e Twitter.


Últimas de Rio De Janeiro