Equipe da GloboNews é expulsa de ato no Complexo do Alemão

Grupo, que não seria de moradores, cercou e hostilizou os jornalistas em protesto no local no último sábado

Por O Dia

Rio - Em meio ao clima tenso no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, uma equipe de reportagem da GloboNews foi expulsa do local, no sábado, quando cobria manifestações de moradores pelo fim da violência na região. A população protestava contra os sucessivos confrontos no conjunto de favelas, culminando na morte de quatro pessoas na semana passada, entre elas, um menino de 10 anos. 

Leia mais:

Guerra sem fim no Alemão prejudica acesso a serviços de saúde e educação

'Não vamos levar paz ao Alemão em 10 anos', afirma Pezão

Menino de 10 anos morre durante operação da PM no Complexo do Alemão

Segundo relatos, as pessoas que expulsaram a equipe da GloboNews não seriam moradoras. O grupo estava acompanhando o trabalho da imprensa e o protesto. Um vídeo feito por Mauro Marques mostra o momento em que os jornalistas foram cercados. É possível ouvir ainda um dos organizadores do protesto falar ao microfone: "Eles estão cobrindo o nosso lado". Esta não é a primeira vez que repórteres da GloboNews são expulsos de uma manifestação. Nos atos de 2013 e 2014, manifestantes hostilizavam os jornalistas e diversas vezes chegaram a expulsá-los dos locais. 

Alemão vive dias de tensão

Há pouco mais de três meses, moradores do Alemão vêm convivendo com intensos confrontos entre bandidos e policiais. No entanto, na última semana, os tiroteios culminaram na morte de quatro pessoas, em dois dias, sendo uma delas de Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos. Ele foi atingido por um tiro de fuzil, na quinta-feira, quando brincava na porta de casa. Na quarta-feira, uma moradora — além de dois suspeitos — também morreu vítima dos confrontos. Ela foi baleada dentro de casa. 

A violência no local vem sendo criticada e alvo de inúmeros protestos da população. Nesta segunda-feira, as comissões de Direitos Humanos da Alerj e da Câmara dos Vereadores se reúnem com familiares de vítimas de confrontos no local. O objetivo é colher depoimentos e cobrar uma postura do estado. 

Últimas de Rio De Janeiro