Dias antes de matar dançarina, assassino desabafou em vídeo

Marido de Amanda Bueno, Milton Vieira relatou discussão com a mulher e xingou o irmão

Por O Dia

Rio - Poucos dias antes de assassinar sua mulher, a dançarina Cícera Alves de Sena — a Amanda Bueno, ex-integrante do grupo de funk Jaula das Gostozudas —, Milton Severiano Vieira gravou um vídeo em que relata discussão com a mulher e o irmão. Entre diversos palavrões, 'Miltinho da Van' disse que chegou a ser humilhado ao ser filmado alcoolizado dentro de sua casa.

Na manhã desta sexta-feira, Miltinho prestou depoimento na Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense e chegou a dizer que "teve um surto" ao matar a sua mulher. Amanda foi espancada e morta pelo marido nesta quinta-feira.

'Eu surtei e estou arrependido', diz marido que matou dançarina

No vídeo gravado no fim de semana e no qual Milton desabafa sobre a discussão com Amanda, ele faz referências à gravação que seu irmão fez. "Muito triste e muito decepcionado com tudo que aconteceu de sábado para domingo. Todo mundo já ficou bêbado, mas eu estava dentro da minha casa e estava bêbado em cima dessa cama. Minha esposa ficou preocupada de eu estar passando mal e chamou uma pessoa que eu tenho um carinho.... tinha um carinho muito grande e um respeito muito grande, que no caso, é o meu irmão, porque ele mesmo sabe que eu estou com problemas particulares, e se colocou disposto a me ajudar em tudo", disse Miltinho no início do vídeo. 

Em seguida, ele relata que foi "esculachado" pelo irmão, por estar acoolizado: "Ele me esculachou. Viu que eu estava alcoolizado, não estava consciente, estava indefeso, sem poder sequer reagir a qualquer atitude. Ele publicou para todo mundo, botou na net. Isso, meu parceiro, é atitude de comédia, isso é atitude de covarde", desabafou. 

De acordo com Hugo Assumpção%2C advogado e amigo de Milton Severiano Vieira%2C um 'surto' foi o que motivou o acusado a matar brutalmente a dançarina Amanda BuenoOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Ainda transtornado, Milton acrescentou: "Nunca te sacaneei e nunca deixei ninguém te sacanear, não. Essa atitude que você fez não é de um advogado, não é a atitude de um sujeito homem, não. Isso é molecagem). Eu estava aqui na minha casa, bebi, mas não fiz mal a ninguém. E você entrou como uma serpente. Veio aqui, tirou onda com a minha cara, e publicou. Isso é atitude de moleque. Eu se eu fosse você, tinha vergonha".

A morte da dançarina chocou toda a população nesta sexta-feira. A câmera de segurança instalada no jardim da mansão do assassino esta semana flagrou o exato momento em que Milton matou a mulher, de quem havia ficado noivo no último domingo.

Nas imagens de conteúdo forte, Miltinho aparece derrubando Amanda no jardim da mansão no bairro da Posse, em Nova Iguaçu. Em seguida, ele bate a cabeça da dançarina no chão inúmeras vezes e ainda lhe dá coronhadas, mesmo com a vítima desacordada. Logo depois, ele entra no imóvel, e volta com uma escopeta calibre 12 e desfere vários tiros na cabeça da vítima. O crime aconteceu no final da tarde de quinta-feira.

O delegado disse que o crime foi motivado após uma discussão entre o casal. Amanda teria descoberto uma relação extraconjugal do companheiro. Ainda de acordo com Fábio Salvadoretti, Milton tinha duas passagens pela polícia por crime de violência doméstica. Ele revelou que duas ex-mulheres do acusado estiveram na DHBF e traçaram o perfil de comportamento do empresário de vans como um homem agressivo, principalmente quando fazia uso de bebida alcoólica. A polícia acredita que ele estivesse sob efeito de álcool no momento crime.

Últimas de Rio De Janeiro