Funcionária da Prefeitura de Nova Iguaçu é acusada de discriminação

Servidora teria dito que alguns participantes pareciam 'ratos saindo do bueiro'

Por O Dia

Marcos Serra espera receber apoio de várias entidades no protestoDivulgação

Rio - Uma acusação de racismo a uma funcionária da Prefeitura de Nova Iguaçu está gerando polêmica na cidade e uma manifestação está marcada para hoje, às 15h, na porta do prédio da administração municipal. A suposta discriminação teria ocorrido durante a Conferência de Cultura de Nova Iguaçu,na última quarta-feira. A servidora teria dito que alguns participantes pareciam “ratos saindo do bueiro”. O professor e ator Marcos Serra, que é negro, alega ainda ter sido chamado de “favelado” pela funcionária.

Segundo o professor, o caso só não foi registrado na polícia porque, na delegacia, afirmaram que a fala da suposta agressora não caracterizava um crime.“Vamos nos manifestar exigindo a exoneração da servidora e uma retratação pública da prefeitura, pois fui agredido e desqualificado”, afirma o professor. A repercussão do caso tem sido grande nas redes sociais, com várias instituições apoiando a ação de Serra, como a ONG Com Causa, além de professores da Uerj, onde ele cursa o doutorado em Educação.

“Eu não gostaria de continuar sendo desrespeitado”, escreveu Marcos nas redes sociais, ao se defender que não pretende fazer uso político da denúncia. “Exigi que retirassem a funcionária de sua função naquele momento porque ela foi discriminadora com todos e todas que ali estavam. Eu disse para ela: ‘eu vou lhe processar’. Ela me olhou e disse: ‘processa’. É o que estou fazendo”, afirmou Serra, professor de artes cênicas nas redes públicas do município do Rio e do estado.

Em nota, a Prefeitura de Nova Iguaçu afirma que houve um conflito isolado entre uma das atendentes e um participante do evento e que repudia qualquer tipo de preconceito, mas que não pode ser responsável pelo incidente. A Comissão de Educação e Cultura da Câmara de Vereadores, presidida por Carlos Ferreira (PT) divulgou nota de apoio ao professor.

Últimas de Rio De Janeiro