Roberto Muylaert: supremo xinga bonito

O Supremo, que seria o último bastião da moralidade no país, está em baixa

Por O Dia

Rio - A corrupção é um mal endêmico na nossa sociedade, de tal forma que qualquer brasileiro com determinado poder nas mãos vai usá-lo em seu próprio benefício, em detrimento da empresa, entidade ou país que lhe pague os proventos. Há exceções, mas ficou difícil invocar valores éticos e morais que convençam alguém a agir de forma honesta, em especial na área pública, onde os processos por malfeitos se acumulam sobre centenas de pessoas que continuam por aí como se nada tivesse acontecido.

Supremo xinga bonitoArte%3A O Dia Online

Todo mundo vai se acostumando com os noticiários e de repente passa a achar normal, por exemplo, o funcionamento do Congresso Nacional. Ali as principais votações são decididas pela compra de parlamentares por emendas ou nomeações, em busca dos votos necessários à aprovação de alguma pauta, não importa qual. Quesito em que se destaca o presidente da República, jogando xadrez com os ministros que entram e saem do governo para votar, e no dia seguinte retornam a seus postos, enquanto substitui deputados rebeldes na Comissão de Ética, gastando páginas do Diário Oficial nesse vai e vem. Ninguém pergunta se aquilo que foi votado interessa ao país.

Outra excrescência é o foro privilegiado, onde os criminosos de colarinho branco do Legislativo ou Executivo não podem ser processados, a não ser pelo Supremo, que até hoje não condenou nenhum desses 'aforados'.

O Supremo, que seria o último bastião da moralidade no país, está em baixa. Agora o espetáculo que proporciona é a briga de dois ministros trocando ofensas.

No episódio só resta uma parte educativa, de gente letrada. É a capacidade de xingar com um palavreado elegante em vez de usar expressões chulas que eles gostariam de proferir, como essas duas pérolas do Barroso: "Vossa Excelência não trabalha com a verdade". Na Rocinha ele seria um reles "mentiroso, trolero, embusteiro".

"Não transfira para mim essa parceria que Vossa Excelência tem com a leniência em relação à criminalidade do colarinho branco". Na Rocinha: "Tu é amigo de bandido, gosta de passar a mão na cabeça dos bacana que enfiaram a mão na bufunfa".

 

Últimas de Opinião