Polícia identifica quadrilha na Avenida Brasil

Bando ataca na via expressa há um ano, aumentando em 315% o número de roubos em ônibus

Por O Dia

Rio - Uma quadrilha especializada em roubos a ônibus atua na Avenida Brasil há um ano, período em que o delito aumentou na região em 315%. O líder, segundo investigadores da 21ª DP (Bonsucesso) seria Douglas Gonzaga Nascimento, de 29 anos, conhecido como Pivete, e teve o pedido de prisão feito no dia 25 de novembro. No entanto, até agora, a Justiça ainda analisa as provas e não há mandado expedido. Enquanto isso, o acusado continua solto e já foi identificado assaltando outros ônibus — o último roubo flagrado por câmeras ocorreu há duas semanas.

Sua área de atuação é entre as passarelas cinco e nove da via, justamente o trecho com o maior registro de roubos em ônibus no estado. É o que mostra esta quarta reportagem da série ‘Passageiros da Agonia’.

Em imagens de câmeras de segurança%2C Douglas Gonzaga Nascimento%2C o Pivete%2C aparece roubando bolsa da motorista em viagemReprodução Vídeo

No ano de 2016, 1.587 pessoas fizeram queixas de roubos em ônibus na 21ªDP. Segundo investigadores, 60% ocorreram nesse trecho da Brasil, ou seja, uma média de 952 pessoas foram assaltadas em um trecho de 3,7 quilômetros. “É uma quadrilha extremamente violenta, que tem um agravante por atuar sob o efeito de drogas, principalmente o crack”, afirmou o delegado Wellington Oliveira, titular da delegacia. 

Segundo investigação, Pivete aluga armas de traficantes da favela de Manguinhos e leva os produtos do roubo para um viaduto que fica em frente ao Parque União, no Complexo da Maré. A quadrilha, formada por cerca de 20 pessoas, incluindo mulheres, consomem crack nesse ponto. “Já o vi mais de uma vez, mas não temos mandado de prisão. A Polícia Militar também não pode fazer a prisão, nem dele, ou de outro do grupo, somente em flagrante”, disse Oliveira.

Douglas Gonzaga Nascimento%2C o Pivete%2C é apontado pela polícia como líder do bando que rouba ônibus na Avenida BrasilReprodução Vídeo

O último assalto da quadrilha comandada por Pivete, segundo a polícia, foi na quinta-feira, dia 4. Na ocasião, cinco integrantes da quadrilha, que naquele dia eram liderados por uma mulher armada, assaltaram o ônibus da linha 379 (Catiri-Tiradentes). O coletivo estava lotado, mas somente seis pessoas fizeram o registro do roubo.

Nos depoimentos, relatos de terror. “Demorei a encontrar o celular. O assaltante ficou irritado e tentou me esfaquear. Me protegi com a mochila, que ficou com vários furos por conta dos golpes de facas”, afirmou uma das vítimas. O delegado soube que a mulher que comandou o assalto havia dado à luz há cinco dias no Hospital de Bonsucesso e entregue o bebê à adoção.

Enquanto o mandado de prisão não sai, o delegado fez uma espécie de aplicativo no Google Drive. “Compartilhamos as fotos dos criminosos. Começou somente com o roubo a coletivo. Agora, temos um banco de todo o estado.”

Procurada, a assessoria do Tribunal de Justiça disse que vai entrar em contato com o gabinete da juíza responsável pelo caso para saber a respeito do pedido.

Assaltante reconhecido pelo boné

Em um dos assaltos em que a polícia investiga a participação de Pivete aparece nas imagens uma motorista da empresa Mageli, no dia 27 de dezembro, no início da tarde. Investigadores identificaram o criminoso pelo boné que ele usava. O inquérito ainda está sob investigação.

O crime ocorreu por volta de 13h, na altura do Parque União, na Avenida Brasil. Além da motorista, dois passageiros estavam no ônibus e foram assaltados. Ameaçando os passageiros com uma tesoura, Pivete leva a bolsa da motorista, com todos os seus pertences.

A reportagem teve acesso ao registro de ocorrência, feito na delegacia de São João de Meriti. Nele, a motorista relatou que teve roubados R$ 70, além da sua Carteira de Habilitação, fundamental ao seu trabalho.

Além da Pivete, outros dois criminosos participaram e desceram na entrada da Ilha do Governador. “Eles atuam sob o efeito de drogas. Só tem um menor na quadrilha, de 14 anos”, disse Oliveira.

Book digital tem arquivos com fotos de criminosos por tipo de crimeReprodução

O delegado vai chamar a motorista para depoimento e, com isso, fazer mais um pedido de prisão por roubo a ônibus.

Roubo a ônibus motivou criação

Com o aumento de roubos em ônibus, o delegado Wellington Oliveira criou o book digital, um arquivo de fotos de criminosos por delitos, em todas as regiões do Estado. Ontem, o aplicativo foi apresentado a policiais do Grupamento de Transporte em Ônibus Urbano. “Auxilia o policial que faz a ronda. Apesar do criminoso não ter mandado de prisão, ele pode retirá-lo do ônibus e fazer uma revista”, disse.

PM apreende menores na Linha 474 por roubo

Não só roubos no interior dos ônibus foram registrados nesta série. Ontem, o repórter fotográfico Alexandre Brum, do DIA, flagrou a apreensão de menores que estavam na linha 474 ( Jacaré-Jardim de Alah), já famosa pelos problemas, que teriam cometido roubo fora do coletivo e embarcado de volta no veículo. A apreensão ocorreu no Aterro do Flamengo, na altura do Botafogo Praia Shopping.

Menores são detidos por policiais militares em Botafogo após terem roubado celular de motoristaAlexandre Brum / Agência O Dia

A nutricionista Mariana Trindade, de 28 anos, estava em seu carro, quando foi assaltada, momentos antes, por dois menores que desceram do Coletivo. “Estava dentro do meu carro com o celular no colo, quando ele se aproximou e bateu no vidro. Ele simulou ter uma arma na cintura e exigiu o celular. Eu não quis pagar para ver e entreguei o aparelho.”

Após o assalto, a nutricionista viu um dos menores voltando para o ônibus. Parada no trânsito, chamou uma viatura que se aproximava e relatou o caso aos PMs. Os agentes, então, pararam o ônibus e encontraram o celular. O caso foi registrado na 10ºDP (Botafogo).