Bandidos armados fazem arrastões em bares

Algumas vítimas de roubo na Zona Sul não conseguiram registrar ocorrência em delegacia. Na Tijuca, suspeito morreu ao tentar assaltar bar

Por O Dia

Rio - Bares de Botafogo e do Flamengo, na Zona Sul, foram alvo da ação de bandidos armados na madrugada de ontem. Em um deles, pelo menos dez frequentadores foram vítimas do ‘arrastão’ Eles fugiram levando telefones celulares, carteiras, bolsas e também dinheiro que pegaram no caixa dos bares. Quem tentou registrar ocorrência na delegacia não conseguiu por conta da greve dos policiais civis. Na Tijuca, um homem morreu também na madrugada após trocar tiros com um PM durante tentativa de assalto a um bar.

Policiais militares que faziam ronda na Zona Sul relataram que três homens com pistolas roubaram grupos que estavam na região da Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, enquanto um comparsa dava cobertura dentro em um carro. Depois, eles assaltaram dez pessoas que estavam em um bar na Rua Marquês de Abrantes, no Flamengo. Os bandidos fugiram e ninguém ficou ferido.

Bar na esquina da Rua Marquês de Abrantes com a Travessa dos Tamoios%2C no Flamengo%3A alvo de assaltoDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

A estudante de Nutrição Bruna Bargiela, de 24 anos, uma das vítimas no Flamengo, disse que o assalto foi anunciado entre 2h e 3h. “A gente estava rindo e, do nada, um cara de boné apareceu com arma e falou: ‘Passa as bolsas, senão eu atiro’. Ele apontou a arma para os meus amigos, levou as bolsas e voltou para um carro. Eram pelo menos três assaltando”. O caixa também foi saqueado.

Segundo Bruna, o assalto ocorreu a poucos metros de onde havia uma viatura policial. As vítimas tentaram registrar ocorrência na 9ª DP (Catete), mas foram informadas que o procedimento só poderia ser feito pela internet devido à paralisação dos policiais civis. O grupo disse ainda que flagrou, na ida para a delegacia, uma cabine da PM no Largo do Machado com lâmpadas e ar-condicionado ligados, mas sem policiais dentro. PMs que estavam parados perto dali comentaram com o grupo que eles próprios tiveram de abastecer o combustível da viatura.

De acordo com a Polícia Militar, policiais do 2º BPM realizaram buscas na Zona Sul para prender os criminosos assim que foram informados sobre supostas ocorrências. O comando do batalhão informou desconhecer a falta de combustível na viatura.

De acordo com o 6º BPM (Tijuca), a tentativa de assalto ocorreu por volta das 2h, quando quatro homens em um Citroen C3, cor prata, desembarcaram e anunciaram o assalto, dentro de um bar na Rua Almirante Cochrane. O policial, de 48 anos e que estava de folga, reagiu e atirou contra os assaltantes, matando um deles. Outros três fugiram. A Delegacia de Homicídios investiga o caso.

Polícia: sem pagamento, sem trabalho

A greve dos policiais civis começou às 8h de ontem em todo o estado, após 72 horas de paralisação. A decisão foi tomada em assembleia na segunda-feira. Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol), Francisco Chao, o movimento não vai terminar enquanto o governo do estado não pagar 13º, gratificações do Regime Adicional do Serviço (RAS) e metas em atraso. A categoria recebeu o salário de dezembro na quarta-feira, também atrasado. “Começamos a trabalhar com 30% do efetivo e continuamos atendendo apenas casos de caráter emergencial, de natureza prisional em flagrante ou por mandado e de violência ou grave ameaça”, disse Chao.

A Secretaria de Fazenda afirmou que o 13º, o RAS e as metas seguem sem previsão e que a meta é pagar os salários de janeiro até o décimo dia útil de fevereiro, conforme prevê o calendário oficial.

Indignação por não conseguir registrar assalto na DP

A estudante Bruna Bargiela e os amigos assaltados no bar do Flamengo ficaram indignados por não terem conseguido registrar a ocorrência na 9ª DP. “Achei um absurdo. Dez pessoas foram assaltadas e oito foram à delegacia, inconformadas, porque perderam documentos, cartões, tudo. Aí dizem que só poderíamos fazer registro online? Foi uma frustração”, desabafou Bruna.

Já o técnico de informática Francisco Carlos, 63, não conseguiu registrar a perda de documentos ontem na 15ª DP (Gávea), mas apoiou os policiais. “Eles têm direito à greve, porque a crise está aí para todo mundo”, opinou. A 9ª DP informou que, com base nas informações veiculadas pelas mídias sociais sobre roubos sucessivos na madrugada de ontem, será instaurado procedimento para apurar os fatos.

Últimas de Rio De Janeiro