Operações em comunidades do Rio deixam mais de 13 mil alunos sem aulas

Polícia faz ações nos complexos da Maré, do Cajueiro e na Vila Kennedy. Somente na Maré são mais de 11 mil alunos sem aulas nesta segunda-feira

Por O Dia

Rio - Operações policiais em pelo menos quatro comunidades do Rio deixam mais de 13 mil alunos sem aulas na manhã desta segunda-feira. As ações da polícia ocorrem nas favelas Nova Holanda e Parque União, no Complexo da Maré, no Morro do Cajueiro, em Madureira, e na Vila Kennedy, em Bangu, onde também uma Clínica da Família foi fechada.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, são 19 escolas, seis creches e 11 Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDI's) sem atendimento nesta manhã, totalizando 13.160 alunos.

Na Maré, policiais do Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar — que engloba do Bope, Choque, BAC e GAM — realizam, desde o fim da madrugada desta segunda-feira, uma operação nas favela Parque União e Nova Holanda.

Ainda não há informações sobre os motivos da operação nem um balanço da ação nas comunidades. Através das redes sociais, moradores relatam um intenso tiroteio que teve início ainda no fim da madrugada. Somente na Maré, 17 escolas, quatro creches e 10 Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDI's) não abriram, deixando 11.640 crianças sem aulas. Uma unidade da rede estadual não abriu, mas a Secretaria Estadual de Educação não deu o número de alunos sem atendimento.

Na Vila Kennedy, policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) realizam operação na comunidade. Há relatos de muitos tiros e veículos de moradores arrastados pelo blindado (caveirão). Por lá, 1.358 alunos estão sem aulas em duas escolas e duas creches.

No Morro do Cajueiro, em Madureira, moradores também acordaram com o barulho dos tiros na comunidade. Segundo o 9ºBPM (Rocha Miranda), policiais militares do estão atuando na favela, mas ainda não há balanço da ação. Um EDI não abriu nesta manhã, deixando de atender 162 crianças.

Últimas de Rio De Janeiro