Choque faz operação na Rocinha e Bope busca bandidos que fugiram para o Turano

Traficantes da Rocinha estão fugindo pela floresta e se abrigando em favelas da Tijuca. Suspeito foi baleado na mata perto do Salgueiro

Por O Dia

Rio - Policiais do Batalhão de Choque (BPChq), além do Batalhão de Ações com Cães (BAC) realizam uma operação, na manhã desta segunda-feira, na Favela da Rocinha, em São Conrado, em busca de traficantes. Já o Batalhão de Operações Especiais (Bope) está no Morro do Turano, na Zona Norte, em busca de criminosos que fugiram pela Floresta da Tijuca e estão se abrigando em favelas da região.

Pelas redes sociais, moradores relatam um intenso tiroteio no morro que abrange os bairros do Rio Comprido e Tijuca. De acordo com a PM, um suspeito foi baleado durante troca de tiros na área da mata, próximo do Morro do Salgueiro. Uma pistola foi apreendida com ele. Não há relatos de tiroteios nesta madrugada e manhã na Rocinha.

Desde a última sexta-feira, militares das Forças Armadas fazem um cerco na Favela da Rocinha em apoio às operações das polícias Militar e Civil. Eles buscam os principais líderes das quadrilhas de Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, e Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, que iniciaram uma guerra pelo controle do tráfico local há uma semana. 

Rocinha volta a registrar tiroteio e escolas suspendem aulas nesta segunda

A comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio, voltou a registrar tiros, no fim da tarde desde domingo. Após um dia aparentemente calmo, policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) afirmaram que houve a incidência de um tiroteio, porém, não houve o registro de feridos.

Na véspera do cerco militar, confrontos entre criminosos, policiais e militares ocorreram na favela e em outros pontos da cidade. Três suspeitos morreram, nove foram presos e pelo menos 18 fuzis foram apreendidos, além de granadas, munições e drogas. 

Na tarde deste domingo, a PM prendeu um homem suspeito de fazer parte do bando de 157. Emanuel Bezerra, de 19 anos, foi capturado em casa, em uma região conhecida como Dioneia. Ele foi encaminhado para 11ª DP (São Conrado). 

Forças Armadas cercam Rocinha desde sexta-feiraEstefan Radovicz / Agência O Dia


Últimas de Rio De Janeiro