01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Criança vítima de explosão de bomba caseira perde parte da visão

Menino foi atingido no olho direito. Polícia suspeita de traficantes que agem em Honório Gurgel

Por JONATHAN FERREIRA

A Polícia Civil acredita que a bomba caseira que explodiu e feriu duas crianças, de 9 e 11 anos, na terça-feira passada, tenha sido guardada em uma bolsa plástica, pendurada nos galhos de uma árvore, por traficantes de drogas que atuam em Honório Gurgel, na Zona Norte do Rio. Uma das vítimas, de 9 anos, perdeu a visão do olho direito ao ser atingida na córnea por estilhaços. A criança está em observação no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, ainda sem previsão de alta. Os dois meninos, que são primos, também tiveram perfurações e queimaduras no corpo, por conta do impacto da explosão e dos pregos colocados dentro da bomba. A outra criança está internada no Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, e seu quadro é estável.

Pai de um dos meninos, o pedreiro Fabiano Almeida, de 36 anos, esteve na tarde de ontem na 40ª DP (Honório Gurgel), onde prestou depoimento por cerca de uma hora. Segundo ele, por volta das 17h30 de terça-feira, os meninos brincavam nos fundos do quintal da casa da avó, em frente à estação de trens de Honório Gurgel, e começaram a se pendurar em uma árvore com o auxílio de uma corda. Ao balançar um dos galhos, uma bolsa plástica caiu no chão e os meninos tentaram abrí-la. Como não conseguiram, eles bateram com uma madeira na bolsa, o que teria provocado a explosão. "Foi um anjo que salvou meu filho e meu sobrinho da morte. Agora, só quero que se recuperem e voltem logo para casa", desabafou.

Ainda muito abalado, Almeida disse que o barulho da explosão foi muito forte e provocou susto e correria na vizinhança. "Estava trabalhando em uma obra perto de casa, ouvi o estouro e, quando cheguei em casa encontrei os dois meninos feridos. Consegui levá-los para o hospital com a ajuda de um vizinho", lembrou.

O delegado titular da 40ªDP, Marcio Petra, disse que nenhuma linha de investigação está descartada.