Protesto acaba em confronto no Centro

Pelo menos um manifestante ficou ferido por bala de borracha. Um homem foi preso com fogos, segundo a PM

Por O Dia

Cariocas alegam que sistema piorou após redução tarifária para R$ 3,40
Cariocas alegam que sistema piorou após redução tarifária para R$ 3,40 - : Daniel Castelo Branco

Pelo menos uma pessoa ficou ferida nos confrontos após os protestos contra a libertação dos três deputados presos. A Polícia Militar usou bombas de gás e balas de borracha para dispersar cerca de mil manifestantes que se concentraram em frente ao prédio da Alerj.

O ato começou por volta das 13h e vinha transcorrendo sem incidentes até às 15h40. Segundo manifestantes, a confusão começou quando a oficial de justiça que trazia a liminar que autorizava o acesso do público às galerias da Alerj foi barrada pela segurança da Casa e pela polícia.

Um estudante de 20 anos foi atingido por uma bala de borracha na testa, logo acima do olho direito. Fernando Veiga Neves estava próximo às grades que separam os manifestantes do acesso à Alerj e foi atingido tão logo a Polícia Militar passou a fazer uso das bombas de gás. O estudante foi atendido por enfermeiros da Cruz Vermelha na esquina da Rua do Carmo com a Sete de Setembro. Ele sangrava e foi orientado pelos enfermeiros a procurar um hospital para ser examinado.

A PM informou que os confrontos se deram por conta de ataques aos policiais com pedras e artefatos explosivos. A corporação informou ainda que prendeu um agressor infiltrado entre os manifestantes que portava fogos de artifício. Os manifestantes ocuparam a Avenida 1º de Março, mas o confronto se espalho na área ao redor da Alerj.

Galeria de Fotos

Povo fala nos ponto de Ônibus sobre a votação na ALERJ que tirou da prisão dos deputados peemedebistas Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Policiais usaram bombas de gás e balas de borracha para dispersar manifestantes em frente à Alerj Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Cariocas alegam que sistema piorou após redução tarifária para R$ 3,40 : Daniel Castelo Branco

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro