Parada LGBT lota bairro de Madureira

Entre as várias atrações, as cantoras Ludmilla e Alinne Rosa

Por O Dia

Durante toda a manhã, as pessoas puderam tomar vacinas antitetânica e contra a hepatite B
Durante toda a manhã, as pessoas puderam tomar vacinas antitetânica e contra a hepatite B - Divulgação

Centenas de pessoas compareceram ontem à 17ª edição da Parada LGBT de Madureira. Oito trios elétricos percorreram as principais ruas do tradicional bairro da Zona Norte. Entre as atrações, as cantoras Ludmilla, Alinne Rosa e Deena Love, participante do programa The Voice Brasil, além da presença do padrinho David Brazil.

Neste ano, com o tema 'A união nos une, mas a nossa luta nos fortalece', o evento teve ação social exclusiva. Durante toda a manhã, as pessoas podiam tomar vacinas antitetânica e contra a hepatite B. Houve também distribuição de 50 mil preservativos e de materiais de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Organizado pelo Movimento de Gays, Travestis e Transformistas (MGTT), o evento teve concentração na Avenida Carvalho de Souza, esquina com o Calçadão de Madureira. De acordo com uma das organizadoras do evento, Loren Alesxander, a parada é um ato para mostrar a necessidade pela busca da igualdade social.

"É fundamental para a militância trazer um evento contra qualquer tipo de preconceito para Zona Norte do Rio. É para mostrar para todos que não vamos nos calar e deixar de lutar. Nós continuaremos lutando para conseguir os nossos direitos", destacou Loren Alesxander.

Por dificuldades de patrocínio, a data da Parada LGBT de Madureira foi modificada três vezes e só conseguiu ser realizada ontem depois da entrada de dois patrocinadores de peso. Já para garantir a segurança, o evento contou com 230 policiais do 9º BPM (Rocha Miranda). a "A parada teve várias respostas negativas, mas finalmente conseguimos colocar o evento na rua", lembrou Loren Alesxander.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro