A palavra-chave de meu governo é o diálogo, afirma Temer

Presidente discursou em evento da Caixa Econômica Federal

Por O Dia

Brasília - O presidente da República, Michel Temer, disse nesta quinta-feira, durante discurso de abertura de um evento de gestores promovido pela Caixa Econômica Federal, que, além de uma instituição financeira, o banco é fundamental para que o governo consiga implementar os programas sociais. "A Caixa, de um lado age como instituição financeira, de outro exerce uma responsabilidade social extraordinária", disse ele, com a voz nitidamente rouca e aparentemente gripado.

Ao lado dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; da Casa Civil, Eliseu Padilha; do Planejamento, Dyogo Oliveira; e da Educação; Mendonça Filho; o presidente lembrou a importância do banco - citando lembranças de sua infância e início da vida adulta no interior de São Paulo - e disse que "a presença do poder publico se faz muitas vezes por um agente da Caixa". "Sem embargo das dificuldades que tivemos no inicio do governo, tivemos muita colaboração dos senhores, porque quando se necessita da Caixa, logo encontramos respaldo", afirmou.

Temer reforçou ainda que, "retirada toda e qualquer hipótese de divisão entre as pessoas", a palavra-chave de seu governo é o diálogo e que os três poderes governam. "É preciso harmonia e distensão entre os poderes e temos conseguido", disse.

O presidente ressaltou que a harmonia com poder legislativo tem garantido ao governo aprovações importantes e citou a criação da PEC do teto dos gastos. "Nós pudemos verificar a colaboração extraordinária do Congresso que em breve tempo aprovou uma reforma inédita no país".

Dilma

Temer reiterou que seu governo será de reformas e que ele terá coragem para fazê-las, mesmo que a tendência dos governantes seja "deixar passar" temas espinhosos. O presidente destacou que a PEC do teto "foi um grande momento" do seu governo e não retirou recursos da educação e da saúde. Temer fez questão de mencionar o ministro Mendonça Filho ao comemorar a aprovação da MP do ensino médio e disse que deve sancioná-la nos próximos dias "o mais rapidamente".

Ao dizer que falava para uma plateia numerosa, Temer arrancou risos ao dizer que estava fazendo propaganda do governo. Após a reação emendou: "propaganda no sentido de propagar e não de falsear", numa provocação indireta à ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Temer citou o envio da reforma trabalhista ao Congresso e disse que apesar de ser um tema complicado acredita que ela será aprovada. "Penso que a modernização da legislação trabalhista também se dará com relativa facilidade", afirmou. "Eu sei que é uma matéria difícil, mas é uma coisa importante para o país", disse, lembrando o envio da reforma da previdência.

O presidente destacou que conseguiu avançar e mandar todas reformas para congresso e que a equipe econômica está debruçada para estudar mudanças nos tributos. "Vamos tentar agora uma simplificação tributária", finalizou.

Últimas de Brasil