Em evento militar, Temer exalta Forças Armadas: 'São a garantia da paz'

Presidente voltou a pedir 'pacificação' e justificou envio de tropas para os estados: 'Eles são recebidos com aplausos'

Por O Dia

Brasília - O presidente Michel Temer exaltou a atuação das Forças Armadas, durante cerimônia de imposição da "Medalha Militar de Platina", em Brasília, na manhã desta quinta-feira. 

Temer disse que, apesar de os militares estarem preparados para a guerra, eles representam a busca da paz. "As Forças Armadas exercem um papel extraordinário, estão preparadas para a guerra, mas elas representam, quando (a guerra) não vem - esperamos que nunca venha - elas representam o sintoma da paz, são a garantia da paz, porque elas se baseiam na ideia de disciplina, hierarquia e respeito absoluto da nossa história", afirmou.

Temer disse ainda que uma tarefa "dificílima" caiu nas mãos do governo e citou o auxílio das Forças Armadas na segurança pública dos estados. "Não são momentos fáceis, nem administrativa nem politicamente", disse. "Quando solicitei o apoio para essa atividade relativa à segurança pública dos Estados, e estava ultrapassando as fronteiras territoriais e jurídicas do conceito de autonomia estadual, não houve um titubeio se quer", afirmou. "Vejam o que as Forças Armadas têm feito ao longo do tempo, nesses últimos tempos exatamente em relação à segurança pública", disse Temer.

O presidente afirmou ainda que a população está aplaudindo a atuação das Forças Armadas nos Estados e que os militares "servirão sempre de exemplo". "Para revelar que o país precisa de paz e tranquilidade", declarou. "Quando se traz, quando nós pedimos, quando enviamos as Forças Armadas para certos Estados, eles são recebidos com aplausos. E olha que aplausos para homens da vida pública não está nada fácil", completou.

Ao lado do ministro da Defesa%2C Raul Jungmann%2C Michel Temer participa de cerimônia no QG do ExércitoBeto Barata/PR

Presidente pede novamente paz

Temer também voltou a pedir que haja paz entre os brasileiros e repetiu, como na quarta-feira, que o clima no País é de "certa raivosidade". "Nós vivemos um momento, nos últimos tempos, de uma certa animosidade entre os brasileiros, o que é inteiramente condenável", disse .

"Eu não me canso de repetir esse fato, porque me parece importante que, sendo eu presidente da República, eu possa fazer alguma pregação. E a pregação que tenho feito ao longo do tempo é exata e precisamente a pacificação entre os brasileiros, para eliminar o que eu disse ontem, com um certo ideologismo, uma certa raivosidade existente entre setores da sociedade brasileira", completou.

Últimas de Brasil