Homem é preso por matar dois moradores de rua com barra de ferro

Manoel Almeida da Silva, de 46 anos, também em situação de rua, teria assassinado colegas por briga causada por um jogo de dominó

Por O Dia

São Paulo - A polícia prendeu, na manhã desta quinta-feira, o homem que matou dois moradores de rua em Santo André, na Grande São Paulo, no domingo, 28. Manoel Almeida da Silva, de 46 anos, também é morador de rua e confessou o crime, que teria sido motivado por uma briga durante jogo de dominó.

Manoel Almeida da Silva confessou o crimeReprodução/TV Globo

Em depoimento à polícia, Silva disse que se arrepende. "Ele alega que pela manhã estavam jogando dominó, as vítimas não queriam que ele parasse de jogar e uma discussão se iniciou. Ele conta que as vítimas o agrediram. À tarde, ele voltou ao local, viu a barra de ferro e atacou os dois", explicou Edson Barbosa, chefe de investigação de Homicídios da Seccional de Santo André. "Foi uma banalidade. Matou por uma briga de jogo de dominó".

A prisão ocorreu no centro de Santo André, durante abordagem de rotina da Polícia Militar por volta das 9h30. Um mandado de prisão temporária havia sido expedido na noite desta quarta-feira. Os policiais identificaram o suspeito e comunicaram à Polícia Civil.

Silva foi filmado por uma câmera de segurança de uma clínica médica na frente de onde o crime aconteceu. As vítimas foram identificadas pela Polícia Civil como Fabio Netto das Neves, de 48 anos, e Michael Steer Renshaw, de 50, que nasceu na Inglaterra e morava no Brasil havia cerca de dez anos. Vizinhos os descreviam como "tranquilos e prestativos". Um terceiro homem, também em situação de rua, foi atacado, mas conseguiu fugir.

Segundo as investigações, a barra de ferro usada nas agressões foi removida da estrutura de um estacionamento na calçada.

O homem tem passagens pela polícia por ameaça contra a ex-mulher e falta de pagamento de pensão aos filhos. Silva foi preso duas vezes em flagrante por furto - entre elas, em maio deste ano, quando furtou o celular de uma enfermeira em um posto de saúde no centro de Santo André.

O chefe da Seccional pedirá a prisão preventiva do acusado, que passará por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e cumprirá prisão temporária na cadeia pública.

Últimas de Brasil