Servidor: Estado busca alternativas para crise

Pezão reforçou o compromisso de buscar soluções. "Sei o que o atraso (dos salários) representa. Estou doído com isso", disse governador

Por O Dia

Rio - Diante da pressão do funcionalismo, o governador Luiz Fernando Pezão reforçou o compromisso de buscar soluções para a crise do estado. Ele voltou a reafirmar que a prioridade é encontrar saídas para regularizar o pagamento dos salários dos servidores.

Segundo ele, todos os esforços estão sendo feitos para a aprovar a renegociação da dívida dos estados. O governador afirmou que a medida vai permitir o reequilíbrio das contas públicas. Pezão destacou que é necessário suspender arrestos e bloqueios para que o estado possa cumprir os calendários de pagamentos definidos pela Fazenda.

Alvo de duras críticas e dos protestos do funcionalismo, Pezão disse que tem consciência da situação de penúria que servidores vivem. “Sei o que o atraso (dos salários) representa. Estou doído com isso. Essas medidas que estamos discutindo com a União ajudam muito a fazer um planejamento. Os arrestos nos impossibilitam de fazer o gerenciamento do caixa e priorizar os pagamentos”, afirmou, lembrando que em outubro foram 21 dias com as contas bloqueadas: 11 dias pela Justiça estadual e 10 dias pelo Tesouro Nacional. É impossível fazer algum planejamento financeiro, tomar medidas necessárias, priorizar os pagamentos do funcionalismo, que sempre foi nossa prioridade, sem gerenciamento do caixa - explicou o governador.

Últimas de Economia