Em Cingapura, Hamilton vai atrás de marcas histórias e 'quadra' pelo título

Líder do Mundial, britânico poderá neste fim de semana igualar marca do ídolo brasileiro Ayrton Senna

Por O Dia

Inglaterra - Líder do Campeonato Mundial de Fórmula 1, o britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, vai para a pista neste fim de semana em Cingapura, no circuito de Marina Bay, em busca da primeira de quatro vitórias que garantirão matematicamente o título mundial, e também de igualar a marca do ídolo.

Ao cruzar a linha de chegada na primeira colocação, em Monza, no Grande Prêmio da Itália, o duas vezes campeão da categoria chegou a 40 vitórias na competição, ficando a uma de igualar Ayrton Senna, de quem sempre se declarou um fã, assim como o alemão Sebastian Vettel, atualmente na Ferrari. Acima do trio, estão apenas o alemão Michael Schumacher, com 91 idas ao topo do pódio e o francês Alain Prost, com 51 vitórias na Fórmula 1.

Já no sábado, contudo, Hamilton poderá igualar outra marca do brasileiro, a de pole positions consecutivas. O piloto do time alemão vem de sete provas largando na ponta, desde o GP de Mônaco, ficando a uma da sequência entre o GP da Espanha de 1988 e o GP dos Estados Unidos em 1989, a maior da história da F-1. O resultado, aliado ao abandono do companheiro de Mercedes, o alemão Nico Rosberg, fez com que Hamilton abrisse 53 pontos de vantagem na liderança na classificação (252 a 199).Com isso, quatro vitórias em sete provas confirmarão o título, independente dos resultados do principal rival.

Hamilton está prestes a igualar marca histórica de Ayrton SennaReuters

A situação ficou tão complicada para o vice-líder que ele próprio já admitiu que as chances de título estão quase zeradas. Em declarações divulgadas na última segunda-feira, Rosberg afirmou que vai fazer o melhor possível, mas que isso pode não representar virada na classicação.

"Agora eu entro nas últimas sete corridas com o pensamento de quem não tem nada a perder. É atacar com tudo, sem desistir da luta, de jeito nenhum", afirmou o piloto de 30 anos.

Para piorar, o alemão vê cada vez mais perto o terceiro colocado na tabela, Vettel, que chegou aos 178 depois de terminar o GP da Itália em segundo lugar. Vale lembrar que na temporada passada, Rosberg foi vice-campeão com 79 pontos de vantagem para o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull.

Felipe Massa, da Williams, tentará manter a boa fase, que o levou para a quarta posição na tabela, graças ao terceiro lugar em Monza. Caso termine a temporada atrás de Hamilton, Rosberg e Vettel, o brasileiro alcançará a melhor classificação desde 2008, quando foi vice-campeão.

Outro piloto do país no grid, Felipe Nasr, da Sauber, tentará quebrar jejum de seis provas sem pontuar, desde o nono lugar em Mônaco, para isso, a equipe dará um carro com a primeira atualização na temporada.

O Grande Prêmio de Cingapura ainda terá uma estreia, a do americano Alexander Rossi, vice-líder da GP2, na Manor, em substituição ao espanhol Roberto Merhi. A princípio, o estreante na categoria fará cinco das sete últimas provas.

As atividades da 13ª etapa da Fórmula 1 começarão nesta sexta-feira às 7h (horário de Brasília), no primeiro treino livre. No sábado, a definição do grid de largada será às 10h, e no domingo a corrida será iniciada às 9h.

Últimas de Esporte