Celso Barros: 'Quem promete a construção de um estádio faz demagogia'

Após ser o manda-chuva do futebol Tricolor, Celso Barros tenta chegar ao cargo máximo do time das Laranjeiras

Por O Dia

Rio - No próximo dia 26 de novembro, sócios e torcedores do Fluminense irão definir seu presidente para os próximos três anos. Esta eleição é a primeira que os torcedores que fazem parte do sócio futebol poderão votar. O plano foi lançado em 2014 e quem estiver adimplente poderá participar da eleição. Segundo o site 'Movimento por um Futebol Melhor', o clube atualmente tem cerca de 33.569. De acordo a assessoria da presidência, 13 mil sócios estão aptos para votar e 11 urnas do TRE serão utilizadas no dia da votação. As chapas foram homologadas no último dia 15 e três candidatos concorrem ao cargo: Celso Barros, Mário Bittencourt e Pedro Abad.

A partir desta segunda-feira, o portal O Dia Online publicará entrevistas feitas com os três candidatos. O primeiro será Celso Barros, ex-presidente da Unimed, empresa que patrocinou o Fluminense durante 15 anos. O candidato falou sobre os principais projetos de sua campanha. Entre eles o investimento em esportes olímpicos, Centro de Treinamento, o departamento de futebol, estádio próprio e se pretende manter Marcão como treinador em 2017.

Candidato tem grande apoio de torcedores Reprodução Facebook

Como seria a viabilização da reforma do ginásio? Qual seria a capacidade depois da reforma?

É uma reforma necessária, que, ao que sei, esteve na pauta de investimentos do Fluminense, para após a reforma do Parque Aquático. O dinheiro sairia do orçamento do futebol. Seria possível, porque o patrocínio master da Unimed-Rio suportava as despesas com jogadores e comissão técnica. Depois eu soube que a diretoria do Fluminense não conseguiu realizar a obra por causa de penhoras nas contas do clube. Eu tenho o compromisso de fazer a reforma, mas antes é necessário ter um projeto, que indicará os custos e capacidade nova do ginásio. Hoje, à distância das finanças do Fluminense, é difícil dizer. Mas quem sabe não será possível numa parceria com empresas que tenham interesse em expor a marca, não só no ginásio, mas nos uniformes dos atletas olímpicos e nos produtos do clube?

O clube recentemente chegou a tentar disputar o NBB, mas não teve sucesso. Pretende investir novamente e tentar levar o basquete do clube de volta a competição?

Claro.

Atualmente, temos o vôlei feminino com uma equipe adulta disputando a primeira divisão da modalidade. Pretende estender esse investimento para os homens?

Pretendo sim. Quando a gente fala de esportes, o conceito é do conjunto todo. A exposição da marca Fluminense com os conceitos do esporte é interessante e pode render receitas novas. 

O que fazer com o estádio de Laranjeiras agora que o clube irá se transferir totalmente para o centro de treinamento?

O estádio faz parte de um conjunto que abriga o clube social e os esportes olímpicos. E é um espaço que carrega uma história bonita do futebol do Fluminense e brasileiro. Será possível aproveitá-lo com esse desenho: visitação, geração de receita, conquista de torcedores mirins, frequentadores do clube social e dos esportes olímpicos.

Onde seria construído o campo de society que consta em seu plano de gestão?

Na quadra central.

É notável que o clube mudou seu jeito de encarar as dívidas na gestão Peter Siemsen. Pretende manter o modelo de pagamento de dívidas? Como sua gestão lidará com isso?

Manter o Fluminense no PROFUT é ato de absoluta responsabilidade. Avaliar corretamente os custos antes de realizá-los, principalmente na contratação de jogadores, é outra providência essencial para manter o equilíbrio nas contas do Fluminense. 

Petkovic e Washington participaram do lançamento da candidatura de Celso Reprodução Facebook

Xerém é uma das melhores bases do Brasil e vem se destacando nos últimos anos vencendo campeonatos e revelando grandes atletas. Pretende manter o investimento, aumentar ou diminuir? Marcelo Teixeira continuará como comandante do trabalho em Xerém?

O Fluminense tem o perfil de um clube de formação de jogadores. Falar de Xerém neste momento é importante para lembrar o que foi a presidência promissora do Sylvio Kelly. Ele iniciou o projeto e todos os presidentes depois dele, cada um a seu jeito, mantiveram. Eu não farei diferente. E a linha de argumento serve para avaliar o profissional que está à frente do Centro de Formação. Ao admitir que ele continuará à frente, eu assumiria como verdade o fato de ele ser único e insubstituível. Não é. Ele pode ser um bom profissional, mas, assim como acontece com o presidente, que a gente reavalia a cada três anos, e a cada seis troca, pode ser que a gente tenha outra opção.

Como sua gestão irá trabalhar com a venda de jogadores revelados em Xerém?

Aproveitar os melhores no próprio Fluminense. 

Pretende continuar com o projeto Flu-Samorim?

A resposta depende de informações e dados que não possuo. A prioridade será, no futebol profissional, absoluta para a disputa dos campeonatos que tem importância no Brasil. E a Libertadores é um deles.

Qual sua proposta para mudança do departamento de futebol?

É possível o presidente efetuar mudanças no departamento de futebol durante a gestão? Evidente que sim. Então, ter um desenho do departamento para o momento da campanha não é garantia de que será a estrutura para o mandato. O relevante é saber que, sem vaidade, entre todos os candidatos a presidente, eu conheço o futebol do Fluminense, como ele funciona, as dificuldades e facilidades dele, melhor que qualquer outro. Durante 15 anos, participei diretamente das discussões sobre contratos, sobre planejamento e etc, com resultados fantásticos na conquista de títulos. Eu saberei como compor o departamento para ter um Fluminense vitorioso. 

Celso tenta chegar ao cargo máximo do TricolorReprodução Facebook

Como irá trabalhar para conseguir concluir as obras no Centro de Treinamento

Eu concluirei as obras, porque seria uma irresponsabilidade e um desrespeito não concluir. 

Irá manter o nome escolhido pelo presidente Peter para o CT?

Por que não manteria? 

Existe a possibilidade de manter Marcão como treinador em 2017?

Gosto do Marcão e tenho respeito por ele, mas falta-lhe experiência para um time com o peso e responsabilidades que tem o Fluminense.

Pensa em investir em um projeto para construção de um estádio próprio?

Eu gostaria, mas, sinceramente, não há no horizonte dos próximos três anos no orçamento do Fluminense espaço para construir. E lembro que a construção de um CT difere em quase tudo da construção de um estádio. É uma construção com custo altíssimo e complexidades técnicas de localização e segurança, que o orçamento não suporta. Quem promete a construção de um estádio faz demagogia.