Poluição acelera adoção de gás natural por motoristas chineses

Cerca de 3,8 milhões de carros, caminhões e ônibus serão abastecidos com o combustível até 2020 na China

Por O Dia

A propulsão de veículos com gás natural, uma alternativa mais limpa do que o diesel e a gasolina, está se popularizando na China mais rapidamente do que em qualquer outro país, pois o presidente Xi Jinping visa reduzir o smog.

Cerca de 3,8 milhões de carros, caminhões e ônibus na China, o maior consumidor de energia e emissor de gases do efeito estufa do mundo, serão abastecidos com gás natural liquefeito ou comprimido até 2020, segundo a Bloomberg New Energy Finance. A cifra é quase o dobro do valor atual, o que tornará a maior economia da Ásia no mercado de crescimento mais acelerado.

A emergência do gás natural como combustível para motores, que gera 32 por cento menos emissões que o diesel, é apoiada pela rede de quase 4.900 postos de abastecimento da China e por um acordo de importação de gás de US$ 400 bilhões com a Rússia. O combustível também é aproximadamente 30 por cento mais barato do que seu equivalente a diesel, pois o GNL opera na Ásia a seu valor mais baixo em três anos. O primeiro-ministro chinês Li Keqiang prometeu banir veículos mais contaminadores, já que o smog na capital, Pequim, é cada vez maior do que os limites definidos pela Organização Mundial da Saúde e obriga os moradores a usarem máscaras ao ar livre.

“Os veículos a gás natural possuem um potencial de crescimento significativo na China porque são mais econômicos do que os modelos convencionais e porque o governo está comprometido com o combate à poluição”, disse Ricky Wang, analista da ICIS-C1 Energy, consultoria de commodities com sede em Xangai, em entrevista por telefone, no dia 1º de julho. “A demanda por gás do setor de transporte está crescendo rapidamente”.

Atender às exigências

Os líderes chineses estão começando a atender às exigências de ar mais limpo no país que, segundo estima o Banco Mundial, possui 16 das 20 cidades mais poluídas do planeta.

A exposição à poluição com PM2.5, as pequenas partículas que apresentam o maior risco à saúde humana, contribuiu para 8.572 mortes prematuras em Pequim, Xangai, Guangzhou e Xi’an em 2012, conforme estimativas, e provocou perdas econômicas de mais de US$ 1 bilhão, segundo um estudo do Greenpeace e da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Pequim.

Mesmo assim, a capacidade da China de fazer com que os motoristas passem a usar gás natural será restrita. O país está muito atrás dos EUA no uso de fracking para expandir a produção doméstica de gás. Nos EUA, a tecnologia liberou gás natural preso, por exemplo, na formação de xisto Marcellus. Os produtores de eletricidade da China também estão competindo pelo gás para substituir o carvão, o que significa que o país enfrentará insuficiências no longo prazo, segundo Charlie Cao, analista da New Energy Finance em Pequim.

Gás comprimido

Atualmente, o gás natural comprimido (GNC) domina o mercado chinês e é responsável por 97% dos veículos movidos a gás natural, disse Cao. O GNL possui uma proporção menor no transporte por causa dos custos mais altos da liquefação e pela falta de infraestrutura para o fornecimento.

Embora a China esteja tendo problemas para acompanhar a demanda, o país aumentou 51% o número de postos de abastecimento de gás natural entre 2012 e o final de 2013, disse Wang do ICIS-C1. Ela prevê que haja cerca de 6.000 bombas de gás natural até o final de 2014, 24 por cento a mais em relação ao ano passado.

Em maio, a China assinou um acordo de 30 anos para importar gás natural da Rússia através de um novo gasoduto. Prognostica-se que o acordo com a OAO Gazprom, o monopólio de gás tubulado da Rússia, forneça 38 bilhões de metros cúbicos de gás por ano, conforme Alexey Miller, CEO da Gazprom. A China também está pronta para aumentar as importações através do Turcomenistão.

“Espera-se que o crescimento do gás no setor de transporte seja significativamente mais rápido no futuro previsível”, disse Thomas Chhoa, gerente-geral da Shell para GNL internacional para transporte na Cingapura. “O gás natural para o transporte está amplamente disponível, a queima é mais limpa do que a de outros combustíveis convencionais de transporte, ele é competitivo em termos de custos e tecnicamente está pronto”, disse Chhoa em um webcast organizado pela empresa em abril.

Últimas de _legado_Notícia