Ex-padre é preso acusado de pedofilia no Rio Grande do Sul

Religioso foi expulso da igreja católica em 2009 e atuava em um mosteiro na cidade de Caçapava do Sul

Por O Dia

Caçapava do Sul, RS - Um padre foi preso, na manhã desta terça feira, acusado de pedofilia. João Marcos Porto Maciel, de 74 anos, intitulado dom Marcos de Santa Helena, teve um mandato de prisão temporária expedido pelo delegado Fabrício de Santis.

"Ele não é um religioso, mas um criminoso. Veste-se de padre para praticar crimes a mais de 50 anos sem levantar suspeitas", informou o delegado. Foram ouvidas oito vítimas do religioso que foi expulso da igreja católica em 2009 e hoje dirige um mosteiro em Caçapava do Sul.

Entre as vítimas que deram depoimentos, estão Marcelo Ribeiro, de 48 anos, autor do livro "Sem Medo de Falar - Relato de uma Vítima de Pedofilia", e o viloncelista Alexandre Diel de 42 anos, que vieram a público para denunciar os crimes praticados pelo ex-padre.

O inquérito investigou outros casos, como o de um menor de 17 anos, que foi abusado aos 11 por dom Marcos. "Temos o caso de uma vítima que relatou ter sido abusada em 1961, o que nos leva a crer que ele atua como pedófilo por mais de 50 anos de maneira impune", disse o delegado.

No momento da prisão, os policiais recolheram um menor, que chegava ao mosteiro para ter aulas de flauta com o ex-padre. Ele será ouvido no inquérito, acompanhado por um psicólogo. Dom Marcos se defendeu das acusações. "Pela quantidade de meninos que passaram pelas minhas mãos, uns 10 mil meninos, acho que é muita pouca lembrança isso aí. As denuncias são uma fichinha, em vista das coisas boas."

Últimas de _legado_Brasil